Esqueci minha senha

PREMIADAS


Mulher de Negócios 2012

Etapa Nacional

Categoria: Microempreendedora individual
  • Troféu Ouro – Gislaine de F. C. Marcandali - ver relato
  • Troféu Prata – Soraya A. Cerqueira Felipe
  • Troféu Bronze – Leila B. Oliveira Reis
Categoria: Negócios Coletivos
  • Troféu Ouro – Cooperativa de Produção de Sistemas Hidráulicos LTDA - ver relato
  • Troféu Prata – Cooperativa Regional Solidária de Catadores de Resíduos Sólidos
  • Troféu Bronze – Associação de Artesãos em Trancados da Ilha Grande de Santa Isabel
Categoria: Pequenos Negócios
  • Troféu Ouro – Leal e Oliveira WA Automotores LTDA. - ver relato
  • Troféu Prata – Ana Maria de Souza
  • Troféu Bronze – Big Bang Agência de Viagens LTDA.

Etapa Estadual

UF Razão Social Nome Fantasia Nome Completo Tipo de Empresa
AC Nivana Silva Da Cruz Restaurante Da Nivana Nivana Silva Da Cruz Empreendedora Individual
AC Hotel e Restaurante Açai Ltda - Me Pousada e Restaurante Açai Adeilda Pereira Benevides Pequenos Negócios
AL Solange Medeiros Arruda Solange Arruda Solange Medeiros Arruda Empreendedora Individual
AL Associação Dos Ostreicultores De Barreiras Do Coruripe Aobarco Rosedite Pereira Lessa Negócios Coletivos
AL Consultorios Médicos Integrados Cmi Susemilda Salgueiro Da Silva Santiago Pequenos Negócios
AM Maria Cecília Da Conceiço Rocha Sedução Amazônica Cosmético Maria Cecília Da Conceição Rocha Empreendedora Individual
AM S. M. De Lima Matos Personal Clinic training Sonia Maria De Lima Matos Pequenos Negócios
AP Janaina Santos De Oliveira Salão Janaina Oliveira Janaina Santos De Oliveira Empreendedora Individual
AP W.S.R.M. Silva - Me Mira Materias De Construções Wanderleia Do Socorro Rabelo Mira Da Silva Pequenos Negócios
BA Annete S Vila Flor Monteiro De Matos Line D'Art Ateliê Annete Santana Vila Flor Monteiro De Matos Empreendedora Individual
BA Abais Conteúdos Educativos E Produçao Cultural Ltda Me Central Do Vestibular Rita Vieira Santos Pequenos Negócios
BA Janete Lainha Coelho Casa Camarim Janete Lainha Coelho Pequenos Negócios
CE Giele Lima Da Silva Arte Digital Fotos Giele Lima Da Silva Empreendedora Individual
CE Associação De Artesãos De Curral Grande Artfio Maria Da Conceição Juvencio Sousa Negócios Coletivos
CE Maria Edisse Albuquerque Cunha Dystak Maria Edisse Albuquerque De Cunha Pequenos Negócios
DF Rosana Alves Okada Baketsu Sushi Rosana Alves Okada Empreendedora Individual
DF Associação Dos Artesão De Aguas Claras E Taguatinga Sul Artes Candanga Maria Aparecida Brandão Xavier Negócios Coletivos
DF Leal E Oliveira Wa Automotores Ltda Meu Mecânico Agda Regiane Rodrigues Oliveira Pequenos Negócios
GO Maria Aparecida Vaz De Souza Souza Moda Intima Maria Aparecida Vaz De Souza Empreendedora Individual
GO Associação Escola De Apefeiçoamento Profissional Dos Cirurgiões Dentistas Em Goias Eapgoias Rosimar Bernardete Queiroz Negócios Coletivos
GO Eleni Fernandes Dos Santos Leni Hair Eleni Fernandes Dos Santos Pequenos Negócios
MA Personalitté Centro De Med Est E Cir Plástica Ltda Clinica Personalitté Hildenê De Jesus Praseres Santos Bastos Pequenos Negócios
MG Carina Vieira Da Rocha Martins Tia Lu Lanches Empresariais Carina Rocha Empreendedora Individual
MG Mazé Doces Artesanais Ltda Mazé Doces Maria José De Lima Pequenos Negócios
MS Neide Gonçalves Alves Casa De Salgados Neide Gonçalves Alves Empreendedora Individual
MS Centro De Ensino Reino Do Saber Ltda Me Centro De Ensino Reino Do Saber Marcia Antonia Lucas De Almeida Pequenos Negócios
MT Audiley Aparecida De Freitas Ki Delícia Chocolate Audiley Aparecida De Freitas Empreendedora Individual
MT Aquamat - Associação Dos Aquicultores De Mato Grosso Aquamat Maria Da Gloria Bezerra Chaves Negócios Coletivos
MT M. H. H. Da Silva Confecções Me Jusicler Uniformes Maria Aparecida Herrero Da Silva Pequenos Negócios
PA Linda Mayumi Kokubun Hikaru Estética Linda Mayumiy Kokubun Empreendedora Individual
PA Ivaneide O. Da Conceição-Me Bobinadora E Refrigeração Arco Iris Ivaneide Oliveira Da Conceição Pequenos Negócios
PB Ana Maria De Araújo Gonçalves Loke Brinke Ana Maria De Araújo Gonçalves Empreendedora Individual
PB Associação Comunitária Dos Agropecuaristas Do São João Associação Comunitária Dos Agropecuaristas Do São João Maria Da Paz Nascimento Dos Santos E Silva Negócios Coletivos
PB Clair e Leitão Contabilidade Pública Ltda Clair e Leitão Clair Leitão Martins Diniz Pequenos Negócios
PE Amespe - Associação De Mercadistas Do Estado De Pernambuco Gmais Supermercados Sandra Arantes Da Silva Negócios Coletivos
PE Jucilene Reis De Melo Restaurante Flor De Mandacaru Jucilene Reis De Melo Pequenos Negócios
PI Ineide Pereira Da Costa Midia e Eventos Ineide Pereira Da Costa Empreendedora Individual
PI Associacao De Artesaos Em trancados Da Ilha Grande De Santa Isabel trancados Da Ilha Serrate Maria Souza Gonçalves Negócios Coletivos
PI Ana Maria De Sousa Colégio São Lucas Ana Maria De Sousa Pequenos Negócios
PR Soraya Aparecida Cerqueira Felipe Tacografos Londrina Soraya Aparecida Cerqueira Felipe Empreendedora Individual
PR Associação De Artesanato Santo Antônio Artesanato Santo Antônio Marie Sakamoto Nishio Negócios Coletivos
PR Big Bang Agencia De Viagens Ltda Pelizzer Viagens E Turismo Jocilene Colognese Pelizzer Pequenos Negócios
RJ Sílvia Simone P. L. De Mello Bem Gostosos - Bem Casados By Sílvia Simone Sílvia Simone P. L. De Mello Empreendedora Individual
RJ Cooperativa De Bordados Natividade Ltda Bordados N'Atividade Alcione Gonçalves Vieira Negócios Coletivos
RJ Di Palha Comércio De Bolsas E Acessórios Ltda Retalhos Cariocas Silvia Daniele Barbosa De Oliveira Pequenos Negócios
RN Cristiane Oliveira Lima Rodrigues Salada Da Galega Cristiane Oliveira De Lima Rodrigues Empreendedora Individual
RN Econat S/S Ltda Econat Maria Das Neves Batista Santos Pequenos Negócios
RO Marcia Estela Do Amaral Henrique Baby Bá Calçados Marcia Estela Do Amaral Henrique Empreendedora Individual
RO Associação Dos Artesaos De Pimenta Bueno Ro Aapb Dalva Marciano De Souza Negócios Coletivos
RO Daiana Bagattoli Me Natturalize Daiana Bagattoli Pequenos Negócios
RR Cooperativa Agropecuaria Dos Cinco Polos Coopercinco Genira Borges Bertol Negócios Coletivos
RR E. De Souza E Silva - Me Elifarma Eliana De Souza E Silva Pequenos Negócios
RS Eronita Pithan Goncalves Stop Dog Eronita Pithan Gonçalves Empreendedora Individual
RS Cooperativa De Producao De Sistemas Hidraulico Ltda Coosidra Nadir P S Daroit Negócios Coletivos
RS J Pedro E Cia Ltda. Caminho Do Saber Maristela Tomasi Chiappin Pequenos Negócios
SC Luciane Lemos Da Silva Luciane Lemos Da Silva Luciane Lemos Da Silva Empreendedora Individual
SC Diretrix Comércio E Informática Ltda. Diretrix Tecnologia e Escritório Roberta Matos Corrêa Pequenos Negócios
SE Danielle De Oliveira Ferreira Souza Loja Dany Showcolates Danielle De Oliveira Ferreira Souza Empreendedora Individual
SE Cooperativa De Agricultura Familiar E Fabricação De Doces Santa Salu Tânia Santos Negócios Coletivos
SE Planeta Locação De Equipamentos Ltda Planeta Limpo Noemi Leite Lima Pequenos Negócios
SP Gislaine De F. C. Marcandali Dublê Lavatório Portátil Gislaine De Fátima Centenaro Marcandali Empreendedora Individual
SP Cooperativa Regional Solidaria De Catadores De Resíduos Sólidos Coopersol Rosangela Mazonas Fonseca Negócios Coletivos
SP Marinho Despachantes Ass. Consultoria Tecnica Documentos Ltda Marinho Despachantes Elza Aguiar Pequenos Negócios
TO Leila Beatriz Oliveira Reis Jubiart - Artesanato Leila Beatriz Oliveira Reis Empreendedora Individual
TO Raimunda Laercia Dourada Da Silva Educandario Moranguinho Raimunda Laercia Dourado Da Silva Pequenos Negócios

Fotos - Mulher de Negócios 2012

Fotos por: Rodrigo Oliveira.
  • Uma mulher de FIBRA e INOXidável

    Gislaine de Fátima Centenaro Marcandali - Dublê Lavatório Portátil - Microempreendedora Individual


    Formei-me cabeleireira aos 19 anos pelo SENAC e sempre tive paixão pela profissão. A princípio e sem muita experiência montei aos 20 anos meu próprio salão e precisei fechar pouco tempo depois. Nesse tempo percebi que com condições adequadas, dedicação, empenho e amor pelo trabalho eu me tornaria uma profissional de sucesso. E assim passei mais de 20 anos nessa profissão, ora com salão próprio, ora nos salões de terceiros. Tralhando muito como cabeleireira, “saquei” que o atendimento domiciliar unia as condições de trabalho diferenciado e liberdade nos horários.

    Como cabeleireira domiciliar o que mais dificultava era o trabalho de lavatório, pois não existia ainda essa ferramenta disponível no mercado. Procurei muito, pesquisei na internet e não encontrei nada parecido com o lavatório idealizado! Orei a Deus e pedi sinceramente que Ele me intuísse e inspirasse a ter uma boa idéia. Em 2007 fui ao SEBRAE e através do IPT “criamos” o 1.º lavatório portátil em fibra de vidro. Patenteei a idéia e iniciei a produção. As dificuldades foram muitas, mas não desisti e persisti, pois o conceito do produto era novidade no mercado. Após perder noites de sono e muitos prejuízos com a produção em fibra de vidro, fui obrigada a aprender trabalhar e conhecer a matéria-prima pra exigir qualidade, montar o circuito elétrico – trabalhos essencialmente masculinos, administração de resultado e tudo ao mesmo tempo com a crescente procura dessa novidade!

    Freqüentei cursos, consultorias e palestras orientadas pelo SEBRAE para absorver conhecimento. Descobri os profissionais que tivessem as mesmas dificuldades no atendimento domiciliar. Em Setembro de 2011 deixei a produção em fibra de vidro e passei para o inox com design mais arrojado e só a cuba em fibra de vidro; redesenhei o formato da resistência; alterei o circuito elétrico; introduzi novos e melhores periféricos e hoje todo o conjunto está 100% melhor.

    O diferencial é realmente o fato de o equipamento ser móvel, desmontável em 3 partes independentes, sem ter a necessidade de furar paredes e quebrar pisos para sua instalação. Com a beleza natural do inox além de outras vantagens, estou introduzindo novos produtos como a cuba para ser usada por pessoas acamadas e/ou com mobilidade reduzida em leito de hospitais ou cadeirantes. Minha empresa está legalmente constituída com CNPJ e IE, assinatura digital e NF-e, site dinâmico, locações para eventos, workshop, cursos e treinamentos de empresas de cosméticos, estúdios cenográficos entre outros clientes. Minha administração está num espaço físico pequeno, dividido entre oficina de montagem e acabamento; a produção das partes em inox e cuba em fibra de vidro são terceirizadas; tenho softwares de gerenciamento que auxiliam na administração; a logística é na modalidade “Just in time”, starto a produção que leva em média 15 dias até a entrega por transportadoras; tenho 1 linha de telefone para atendimento e máquina para cartões de crédito/débito e boletos bancários. A meta é difundir a idéia de cada vez mais pessoas serem atendidas por cabeleireiros/as em qualquer local onde elas estiverem, utilizando o lavatório portátil com conforto, praticidade e segurança, pois basta apenas uma tomada de energia em 110 ou 220 volts e o equipamento com peso total de 20 kgs está pronto para ser utilizado, tem capacidade para até 42 litros de água e possui circuito integrado de aquecimento de 3.000 watts que aquece a água em 10 minutos e jato de água com excelente vazão. Não conto com financiamentos bancários, negocio prazos e preços com os fornecedores. O cliente é meu maior patrimônio e os trato de forma amigável, transmitindo segurança, confiança e total parceria nos negócios.

    Hoje abandonei a produção em fibra de vidro (exceto na cuba) e optei pelo inox que entra na cadeia de reaproveitamento no processo de produção inovando mais uma vez com a preocupação e preservação do meio ambiente. Ainda não possuo assistência técnica especializada local caso haja avarias no funcionamento, então desenvolvi o circuito elétrico independente do “corpo” em inox e fazemos a reposição via Correios quando necessário. Minha realização maior é quando os clientes em geral me retornam satisfeito com os resultados obtidos do seu trabalho personalizado com o lavatório! A Dublê não objetiva somente ganhar dinheiro com a distribuição e venda dos lavatórios, quer que os clientes tenham a oportunidade de negócio, trabalhando e aumentando sua própria renda utilizando o equipamento. Avalio os resultados junto aos consumidores através da pós-venda com preenchimento do formulário de “satisfação do cliente” via e-mail e que vez por outra o próprio cliente me ajuda a aprimorar o equipamento com dicas, parecer e opiniões a respeito. Quanto aos colaboradores que seriam a priori nossos fornecedores, buscamos parcerias com empresas idôneas, com comprometimento e responsabilidade principalmente nos prazos estabelecidos. Hoje estou com 53 anos de idade e se pudesse voltar atrás teria começado a ousar com menos idade, teria me lançado nesse mundo empreendedor com mais ímpeto e sem medo, poderia contar com a força da juventude própria da idade, usufruir mais da boa memória, da visão, do entusiasmo, porém não teria a experiência adquirida nessa trajetória imposta pela necessidade de mudar o rumo da minha vida, da minha família e tantas outras pessoas que viram no meu produto a possibilidade de expansão profissional.

    Tenho 3 filhos e planejo repassar para um deles a experiência, o conhecimento e a bagagem adquiridos nesses anos e o comando dos negócios, integralmente! Acredito numa força maior que nos abençoa sempre quando pedimos em oração, de maneira correta e sincera que nos dá força e sabedoria, acredito também na juventude e nos benefícios que hoje a globalização através da internet proporciona. Para quem está começando ou pretendendo começar um negócio próprio, recomendo pensar na seguinte frase de Mark Twain: “O segredo do sucesso é: Descubra para onde as pessoas estão indo e chegue lá primeiro!” e esta, é a máxima que norteia minha visão, aliada a uma pitada de fé do tamanho de um grão de mostarda que embora pequenina, creio ser a mola que move a mão de Deus.

  • MINHA VIDA, UMA CAIXA DE SURPRESAS!

    Cooperativa de Produção de Sistemas Hidráulicos LTDA. - COOSIDRA - Negócios Coletivos


    Me chamo Nadir Pereira da Silva Daroit, tenho 53 anos e sou natural de Montenegro/RS. Hoje vivo em Gravataí/RS, na região da Grande Porto Alegre, na companhia de meu filho Christian. Minha trajetória como mulher empreendedora teve início no ano de 1999, quando a empresa onde trabalhava desde 1991 como auxiliar de escritório – Rudick Oleodinâmica Ltda entrou em falência e resolvemos, um grupo de trabalhadores, organizar uma cooperativa para assumir a fábrica. Desde a fundação da COOSIDRA – Cooperativa de Produção de Sistemas Hidráulicos, venho assumindo, a quatro gestões, a função de Diretora- Presidente. A COOSIDRA, situada no Distrito Industrial de Cachoeirinha/RS, atualmente é composta por 22 associados, sendo 19 homens e 3 mulheres. Situada no ramo da ramo da metalurgia, nossa cooperativa fabrica bombas válvulas e unidade hidráulica. Nestes 11 anos de história, a cooperativa tem possibilitado a nós associados e associadas, além da geração de renda, um aprendizado intenso de trabalho coletivo, de autonomia, de união e de persistência.

    Passamos por diversas batalhas judiciais de tensão e angustia, até que em 2009 pudéssemos assumir totalmente a fábrica, que até este período mantinha-se sob o domínio majoritário da massa falida. Constituídos enquanto cooperativa de prestação de serviços, recebíamos 29% do faturamento. Para que isto acontecesse, pudéssemos ser donos definitivamente do empreendimento que conduzíamos durante 10 anos com o esforço de nosso trabalho, contamos com a parceria de algumas entidades, como o Sindicato dos Metalúrgicos Nacional e da região, que, acreditando em nós, por nosso compromisso e seriedade, nos ajudaram a dar o lance vencedor no leilão a que foi submetida a fábrica. A partir deste momento, então, passamos a nos constituir como cooperativa de produção. Recentemente inovamos com a bomba manual e a bomba de pedal. Estamos implementando melhorias de gestão nas áreas de qualidade, controle de produção, estoque, vendas, compras , financeira e ISO 9000. Em nosso momento atual lutamos pela aquisição definitiva do terreno e prédio da massa falida.

    Desde que assumi a presidência da COOSIDRA em 1999, tive a clareza de que nesta função e em se tratando de uma cooperativa, cabia a mim conduzir um processo de união do grupo, de respeito às opiniões, de decisão coletiva de tudo que dissesse respeito ao empreendimento. Neste sentido nós, associados da COOSIDRA mantemos, desde a sua fundação, a rotina de reuniões mensais, onde tratamos de todas as questões relativas à cooperativa e tomamos as decisões de forma democrática e participativa. Corriam somente 2 meses de atividade da cooperativa e um acidente de carro provocou a morte do meu marido e fez com que eu tivesse que assumir a empresa familiar que mantínhamos - Distribuidora de Alimentos Daroit. Durante 3 anos levei em conjunto as duas funções. Ao mesmo tempo em que me empenhava em liderar um grupo de trabalhadores como eu e conduzir uma cooperativa que recém iniciava suas atividades e que encontrava muitas batalhas pela frente.

    Saía com o motorista da minha empresa familiar, nos bairros e vilas da região, para fazer o trabalho que antes era feito pelo meu marido. Para mim foi difícil esta etapa. No dia seguinte do enterro do meu marido, eu tive que assumir o serviço dele, passando aos clientes e fornecedores o que aconteceu e informando que a partir dali eu estava assumindo o serviço dele. Mas fui forte o suficiente para superar a dor. Por eu ser mulher, muitas vezes no mercado as pessoas se dirigiam ao meu motorista para as negociações, me deixando de lado. Aos poucos fui conquistando a confiança e o respeito destas pessoas. Ao fim destes 3 anos, quando a COOSIDRA teve sinal verde no mercado para funcionamento, passei a trabalhar definitivamente na cooperativa, quando então minha empresa familiar foi vendida. No decorrer da sua história, a COOSIDRA tem demonstrado seu interesse com o meio ambiente e sua preocupação com as futuras gerações no aprimoramento de suas ações, visando à conservação do meio ambiente. Possui licença de operação em vigor, emitida pelo órgão estadual FEPAM e trabalha no atendimento de seus itens. Os resíduos vêm sendo gerenciados conforme legislação vigente. Isto contempla segregação, acondicionamento, armazenamento, transporte e destinação dos resíduos. Este processo garante que os resíduos provoquem pouco impacto ambiental desde sua geração até sua destinação, garantindo que o local de destino seja apropriado para o respectivo resíduo. Além do gerenciamento dos resíduos, a COOSIDRA atua na conscientização de seus funcionários através de treinamentos contínuos e também na busca de alternativas para minimizar a geração de resíduos, reutilizando-os. Realizamos também a separação de lixo para a ACRER- Associação dos classificadores de resíduos recicláveis.

    Em relação ao quadro social, temos garantido plano de saúde e seguro de vida aos nossos cooperados e dependentes, além de comemorarmos todas as datas festivas juntamente com os familiares do empreendimento. Somos sócios da UNISOL /Brasil, desde sua fundação, em agosto de 2004. Esta entidade, que congrega um total de 57 empreendimentos, entre cooperativas e associações no Rio Grande do Sul e em torno de 700 no Brasil, em diversos setores, como metalurgia, artesanato, confecção, têxtil, alimentação, agricultura familiar, apicultura, reciclagem, turismo e construção civil. Tem como um dos seus principais objetivos assessorar e promover a intercooperação com a comercialização dos produtos fabricados. Na função de presidente de uma cooperativa no campo de produção metalúrgica, tenho participado de diversas reuniões onde a minha presença é a única feminina. Por diversos momentos esta situação me causou constrangimento, o que hoje não ocorre mais, pois aprendi a me orgulhar da minha trajetória de conquistas como mulher.

    Deixo a cada mulher que tiver acesso a minha história de luta e empreendedorismo a mensagem de que cada uma de nós é capaz de conquistar seu espaço, de construir seu caminho. Eu escolhi para a minha vida fazer parte de um sonho coletivo, com base na cooperação. Acredito na força da mensagem que diz que o sonho sonhado junto se torna realidade. E assim vem sendo possível me fazer a cada dia a mulher que sou.

  • UMA OFICINA MECÂNICA COR-DE-ROSA

    Leal e Oliveira WA Automotores LTDA. - Meu Mecânico - Pequenos Negócios


    Quando saí do interior de Minas Gerais e vim para Brasília, não podia imaginar que o projeto profissional da minha vida surgiria de uma situação em que fui completamente enganada. Tudo começou em 2008, quando precisei levar meu carro para a troca de óleo. O mecânico disse ter feito vários serviços que depois descobri não serem sequer possíveis, no modelo de carro que eu tinha. O que me consola é que foi isso o início da minha história de empreendedorismo. Aqui precisei encontrar maneiras de me sustentar e pagar a faculdade [de sistemas de informação]. Trabalhei como frentista, auxiliar de contabilidade, patinadora e gerente de contas. Um dia precisei levar meu carro em uma oficina mecânica, onde fui enganada, lesada, assediada e ainda paguei por troca de peças que nem existiam no meu carro. Logo depois do incidente com o carro, fui estudar mecânica, por conta própria, debruçada ao manual do proprietário e pela internet, pois não queria ser enganada (nessa época nem computador eu tinha), E foi assim que me apaixonei por carros. Ao mesmo tempo em que estudava, pensava em como era difícil para as mulheres levar seus carros às oficinas, ambientes quase sempre machistas. Uma oficina só para mulheres poderia evitar situações como a que vivi. Procurei na internet se já existia e encontrei uma em São Paulo, mas, em Brasília, nada. Em 2009, conheci meu futuro esposo. Contei a ele da minha decepção, da carência de mercado no DF e da ideia de montar uma oficina Mecânica para Mulheres.

    No início, ninguém acreditava no meu projeto, nem mesmo ele. Eu tinha um ótimo emprego e abandoná-lo em nome de algo duvidoso parecia loucura demais. Fui dormir algumas vezes brigada com ele por querer levar isso adiante, mas a ideia não saía da minha cabeça e não estava disposta a desistir. Chegamos então a um acordo: Se o SEBRAE aprovasse, ele me apoiaria. Caso contrário, eu desistiria. O consultor achou fantástico. Em abril de 2010, finalmente comprei a oficina. O dinheiro utilizado na aquisição era tudo que tínhamos na poupança, economia para dar entrada na nossa casa. Nós mesmos pintamos o local, tirávamos as fotos em sequência de cada reforma para que pudéssemos ver nossa progressão.

    Para divulgar a empresa, nós criamos um panfleto e imprimimos em casa, preto e branco (bem amador) e distribuímos no semáforo para chamar nossos primeiros clientes. Aos poucos, a loja foi ficando conhecida e pude investir o dinheiro que entrava no meu verdadeiro projeto: unir a oficina com atividades de salão de beleza. A ideia se concretizou com o projeto TPM (Terça para Mulheres). Nesse dia da semana, oferecíamos às clientes que utilizavam nossos serviços mecânicos, diversos tipos de atendimento, como limpeza de pele, manicure, corte e escova de cabelo. Para as clientes que gostam de malhar, oferecemos uma semana de academia, tudo isso em salões e academias com as quais firmamos parcerias. Foi um sucesso, e hoje fazemos essas promoções todos os dias. Meu esposo tem um emprego fora da oficina e ele não entende nada de carro. Então as tomadas de decisões são por minha conta. Deixei de ter ótimos profissionais por não acreditar no meu potencial e alguns deles se sentiam envergonhados de estar em uma oficina cor-de- rosa que tem fita de papel de parede com desenho de menininha. Cheguei a trabalhar mais de 15 dias somente com meu irmão, por falta de funcionário. Lutei muito contra o preconceito e piadinhas de que eu estava louca, que não daria certo implantar o meu propósito. Mas creditei em mim e em pessoas que me incentivavam, até encontrar funcionários que quisessem trabalhar comigo. Hoje já não ando só, tenho uma equipe que faz parte da história da Meu Mecânico, trabalhamos para sermos referência em Brasília até 2015. Na oficina todos têm voz ativa, os colaboradores tem a oportunidade de falar de suas ideias e críticas, para que possamos fazer uma empresa melhor, as reuniões periódicas acontecem para que possamos falar a mesma linguagem e ser mais claros e objetivos com nossos clientes.

    Tenho uma preocupação com o bem estar dos meus colaboradores, todos os dias tomamos café da manhã juntos para que possamos começar bem o dia de trabalho. Festejamos a cada meta batida e nos encorajamos mesmo quando sentimos que não vamos alcançá-la. Fazemos um serviço social para as mulheres, oferecemos uma vez por mês, palestras sobre mecânica, funcionamento do motor e tudo o que elas precisam saber sobre o seu carro. Levar informação de maneira simples, com direito a coffee-break, sorteio de brindes e certificado de participação. Um cuidado especial com o meio ambiente, dar o destino certo ao óleo automotivo retirado dos carros, resolvemos adotar uma iniciativa ecologicamente correta, durante a troca, todo o óleo velho coletado é depositado em um reservatório, que fica armazenado até que a empresa que presta serviço venha coletá-lo e transportá-lo para local adequado, que não oferece danos ao meio ambiente. Os pneus também tem destino, nós doamos para a FAM-Força Ativa da Mulher, uma ONG que defende os direitos das mulheres. Esses pneus são transformados em pufs, cadeiras entre outros artesanatos que dão a elas uma profissão e uma fonte de renda. Agradeço, emocionadíssima, aos que me ajudam nesse trabalho: Deus em 1º lugar por tudo, ao SEBRAE, ao meu esposo Wesley, por compreender minhas horas e horas estudando estratégias, fazendo minha segunda graduação em Gestão Empresarial, ao meu filho que por diversas vezes coloco o trabalho como prioridade, ao meu irmão Wagner que me acompanha na oficina, ao Gelson, mecânico de alto conhecimento e de uma responsabilidade fora do comum e a RAYANE, minha pequena aprendiz, hoje minha mecânica mulher, símbolo de garra e determinação, colaboradores que encontrei como se fossem agulha no palheiro. Duas pessoas que fazem parte da minha história, que acreditaram na oficina cor-de-rosa e que trabalham com a vontade e a perseverança, como se a Meu Mecânico, fossem deles. O prêmio Mulher de Negócios não seria meu, se não fossem vocês.

Mulher de Negócios 2013

Etapa Nacional

Categoria: Microempreendedora individual
  • Troféu Ouro – Regina Célia de Oliveira, fabricante de sabão líquido, Vila Velha (ES) - ver relato
  • Troféu Prata – Thaís Fernandes de Araújo, site de vendas de presentes customizados, João Pessoa (PB)
  • Troféu Bronze – Raquel Aparecida da Cruz, instrutora de circo, Curitiba (PR)
Categoria: Produtora Rural
  • Troféu Ouro – Maria de Fátima Barbosa, pescadora de traíra, Sumé (PB) - ver relato
  • Troféu Prata – Maria de Lourdes Secchin, cafeicultora de Nova Venécia (ES)
  • Troféu Bronze – Deborah Costa Gaiotto, produtora de hortaliças, ervas aromáticas e flores comestíveis, Cerquilho (SP)
Categoria: Pequenos Negócios
  • Troféu Ouro – Rosângela Melo, fabricante de biscoitos, Potengi (RN) - ver relato
  • Troféu Prata – Maribel Emília Gaio, proprietária de laboratório de análises clínicas, Videira (SC)
  • Troféu Bronze – Glaucineide Crivilin Del Caro, dona de loja de colchões, Aracruz (ES)

Etapa Estadual

UF Razão Social Nome Fantasia Nome Completo Tipo de Empresa
AC Dalvanir Justino De Araújo Dalvanir Justino De Araujo Dalvanir Justino De Araújo Microempreendedora Individual
AC M.C. De Paiva (Me) Casas Estéticas Maria Casas De Paiva Pequenos Negócios
AC Marilza Cavalcante De Araújo Marilza Cavalcante De Araújo Marilza Cavalcante De Araújo Produtora Rural
AL Cintia Ferreira Da Silva Sinta-Se Bella Estética Cintia Ferreira Da Silva Microempreendedora Individual
AL Lessa E Moura Contabilidade E Consultoria Empresarial S/S - Me Lessa E Moura Contabilidade Selma Maria Lessa De Moura Pequenos Negócios
AL Cícera Alves Da Silva Cícera Alves Da Silva Cícera Alves Da Silva Produtora Rural
AP Maria Da Pascoa Ferreira Da Silva Restaurante E Lanchonete Seu Sabor E Meu Tempero Maria Da Pascoa Ferreira Da Silva Microempreendedora Individual
AP P. S. Moraes Lobo - Me Na Base Skateshop Pollyanna Stockman Moraes Lobo Pequenos Negócios
AP Joana Monteiro Gibson Joana Monteiro Joana Monteiro Gibson Produtora Rural
BA Lara Mascarenhas Jóias Da Terra Lara Mascarenhas Microempreendedora Individual
BA Re Materiais De Construção Ltda Cristalis Decorações Elisângela Machado De Souza Pequenos Negócios
CE Liana Maria Agostinho Mendes Barbosa Pasteliana Liana Maria Agostinho Mendes Barbosa Microempreendedora Individual
CE Maria Jose Teotonio Vieira - Epp Cimmara Moda Intima Maria José Teotônio Vieira Pequenos Negócios
CE Rivanda Alves Simões Rivanda Alves Simões Rivanda Alves Simões Produtora Rural
DF Luciene Alves Dos Santos Manancial Festas E Decorações Luciene Alves Dos Santos Microempreendedora Individual
DF Maria De Fatima Bolos E Doces Artisticos Maria De Fatima Cake Designer Maria De Fatima Ferreira De Morais Pequenos Negócios
DF Chacara 17 Hatidori Massae Watanabe Produtora Rural
ES Regina Célia De Oliveira Sabão Lele Regina Célia De Oliveira Microempreendedora Individual
ES Estilo Dos Sonhos Colchões Ltda Me Diquer Glaucineide Crivilin Del Caro Pequenos Negócios
ES Fazenda Fortuna Fazenda Fortuna Maria De Lourdes Zavarese Secchin Produtora Rural
GO Valdete Almeida De Araujo Exuberance Valdete Almeira De Araujo Microempreendedora Individual
GO Marluce Gomes De Oliveira Buffet Festa Facil Marluce Gomes De Oliveira Pequenos Negócios
GO Eleuza Alves Fernandes Eleuza Alves Fernandes Eleuza Alves Fernandes Produtora Rural
MA Daniela Cardoso Costa Dani Cabeleireira Daniela Cardoso Costa Microempreendedora Individual
MA L. M. Rigo E Comércio Presentes e Cia Loreci Maria Rigo Pequenos Negócios
MG Dommus Soluções Imobiliárias Ltda Dommus Jonerléia De Cássia Miranda Chaves Pequenos Negócios
MS Juliana Pereira Dias La Belle Esthetique Juliana Pereira Dias Microempreendedora Individual
MS Sigo Procedimentos Homeopáticos Ltda. Sigo Monica Filomena Assis De Souza Pequenos Negócios
MS Maria De Fátima Braz Maria De Fátima Braz Maria De Fátima Braz Produtora Rural
MT Bruschi E Chaves Ltda Romavil Auto Center Marivone Chaves Pequenos Negócios
PA Danielle Andrade Lopes Dany Hair Instituto De Beleza Danielle Andrade Lopes Microempreendedora Individual
PA Panificadora E Confeitaria Versailles Ltda Padaria Versailles Lindalva Fontoura Martins Pereira Pequenos Negócios
PA Fazenda Ipacaraí Ii Fazenda Da Jane Jane Moreira Dos Santos Produtora Rural
PB Thais Fernandes De Araujo Presentes Especiais Thaís Fernandes De Araújo Microempreendedora Individual
PB Francisca Feitosa Soares De Almeida Cesário Construção Francisca Feitosa Soares De Almeida Pequenos Negócios
PB Maria De Fátima Mota Barbosa Fátima Maria De Fátima Mota Barbosa Produtora Rural
PI Centro Integrado De Qualidade De Vida Ltda Honorina Paes Landim Honorina Paes Landim Ludwig Pequenos Negócios
PI Maria Aparecida Alves De Sousa Dappi Maria Aparecida Alves De Sousa Dappi Maria Aparecida Alves De Sousa Produtora Rural
PR Raquel Aparecida Da Cruz Raquel Aparecida Da Cruz Raquel Aparecida Da Cruz Microempreendedora Individual
PR L e S Brasil Absolut Ind E Com Cosméticos L e S Brasil Absolut Lucienne De Souza Pequenos Negócios
PR Francisca Nunes Alves Francisca Nunes Alves Francisca Nunes Alves Produtora Rural
RJ Regina Coelli De Araujo Freitas Favela Orgânica Regina Coelli De Araujo Freitas Microempreendedora Individual
RJ X-Orion Tecnologia E Design Instrucional Ltda. X-Orion Fátima Cristina Nóbrega Da Silva Pequenos Negócios
RJ Monica Raposo Campos Monica Raposo Campos Monica Raposo Campos Produtora Rural
RN Marilene De Lucena Santos Marilene De Lucena Santos Marilene De Lucena Santos Microempreendedora Individual
RN Rosângela M De Melo Me Produtos Regionais Rosângela Machado De Melo Pequenos Negócios
RN Maciele Fernandes Da Silva Maciele Fernandes Da Silva Maciele Fernandes Da Silva Produtora Rural
RO Cleide Almeida Souza Soares Guerreira Modas Evangélicas Cleide Almeida Souza Soares Microempreendedora Individual
RO Mazzi Suprimentos De Informática Ltda Me Mazzi Suprimentos De Informática Carla Juliana Zuntta Mazzi Pequenos Negócios
RO Maria Madalena Da Silva Sitio Maria Maria Madalena Da Silva Produtora Rural
RR S.M.Pinto Consultorias E treinamentos-Me For Business Centro De Capacitação Profissional Shirlene Mota Pinto Pequenos Negócios
RR Marlene Do Nascimento Teixeira J.J. De Melo Marlene Nascimento Teixeira Produtora Rural
RS Ana Maria Heinzelmann De Oliveira Clinica Dos Pés Ana Maria Heinzelmann De Oliveira Microempreendedora Individual
RS Tecnoambi Consultoria E Engenharia Ambiental Ltda Tecnoambi Cristiane Boff Maciel Pequenos Negócios
RS Marcia Ines Sbruzzi Ferrari Agroecologia Ferrari Marcia Ines Sbruzzi Ferrari Produtora Rural
SC Karina Da Silva Elias Qdoce Chocolates E Sorvetes Karina Da Silva Elias Microempreendedora Individual
SC Laboratório De Análises Clínicas Vida Eireli Epp Laboratório Vida Maribel Emilia Gaio Pequenos Negócios
SE Edenilza Santos De Andrade -Me Jornal Aribé Noticias Edenilza Santos De Andrade Microempreendedora Individual
SE Alessandra Adelina Da Silva Matos La Praça Restaurante E Pizzaria Alessandra Adelina Da Silva Matos Pequenos Negócios
SP Marlene Guimaraes Alves De Souza Centro Da Beleza Marlene Guimaraes Alves De Souza Microempreendedora Individual
SP Distribuidora De Produtos Hipoalergenicos E Naturais Sos Alergia Ltda Sos Alergia Sandra Fumie Yamashita Matunoshita Pequenos Negócios
SP Deborah Costa Gaiotto E Outra Fazenda Maria Deborah Costa Gaiotto E Outra Produtora Rural
TO Eglantine Marques Da trindade Agrovida Eglantine Marques Da trindade Pequenos Negócios

Fotos - Mulher de Negócios 2013

Fotos por: Charles Damasceno.


  • SABÃO LELE: SEJA INTELIGENTE: RECICLAR É PRECISO

    Regina Célia de Oliveira - Sabão Lele - Microempreendedora Individual


    Em 2008, Linhares, ganhei um sabão líquido conhecido como “sabão de álcool”, produto econômico que me rendeu. Curiosa em readquiri-lo, procurei pelo vendedor, mas jamais o encontrei. Pela Internet conheci uma senhora que me presenteou com duas garrafas do mesmo e com boa vontade passou-me as coordenadas necessárias para que eu dominasse sua técnica de fabricação. Posta em prática a receita me rendeu 65 litros e resolvi doar. As pessoas que usaram logo me procuraram para fazer encomendas, motivo que me incentivou a começar a fabricar e comercializar o produto.

    Hoje a produção esta diversificada: líquido, barra e pasta, pode-se acrescentar ervas como hortelã, folhas de mamão, patchouli e canela, e limão como uma fruta. O neutro e o neutro com sabão em pó também são mais dois tipos fabricados, os clientes gostam de escolher o tipo de sabão que compram. O sabão líquido é armazenado em garrafas pets, o pastoso em caixas de leite e o de barra envolvido no plástico transparente. O papel reciclado da ênfase aos rótulos, informando a data de fabricação e a sua composição. A frase “Seja Inteligente. Reciclar é preciso. Ame a natureza!” também esta no rótulo.

    Meu filho foi a minha grande inspiração, a solidariedade dele na fabricação dos produtos me serviu como o maior dos encorajamentos. No início fui entregando cartões de visita em estabelecimentos comerciais que breve adquiri uma sólida e fiel clientela no meu bairro e em bairros vizinhos.

    Em 2010, fui recebida por funcionários da Secretaria de Desenvolvimento Econômico da Prefeitura de Vila Velha, que me orientaram a cadastrar-me como Micro Empreendedora Individual, em seguida foi registrada a marca “Sabão Lele” no órgão INPI.

    As entregas eram feitas de ônibus, a pé ou de bicicleta. Alguns estímulos vêm através de permutas, o fato de eu não ter que prestar contas a patrões, controlo meus horários, produção, ganhos e principalmente por minha empresa ser ecologicamente correta, sempre empenhada na abordagem da principal chave da “Preservação da Natureza”, que é a conscientização.

    O método de fabricação do sabão e o recolhimento de resíduos atuam no sentido de promover reflexões sobre a importância do meio ambiente. Uma matéria na televisão do Sabão Lele frisava o não despejo de gordura em ralos. As reportagens seguintes engrenaram meu negócio. A Secretaria de Meio Ambiente me forneceu uma declaração apoiando a iniciativa e com essa atitude minha empresa contribui para a melhoria da defesa ambiental e da qualidade de vida em nosso município, agindo diretamente no recolhimento de três resíduos: a gordura saturada, a caixa de leite e a garrafa pet. Quando à gordura excede uma empresa terceirizada recolhe-a para produção de biodiesel. O “Sabão Lele” efetivou a significativa quantidade de 1.360 litros para tal destinação.

    Influenciadas pelas minhas reportagens, pessoas me ligam para informar que estão fabricando e comercializando seu próprio sabão nos padrões do “Sabão Lele”, o acréscimo do álcool (etanol) diferencia o produto. A limpeza é mais profunda e a reciclagem um dos fatores que chamam a atenção das pessoas.

    Fui mãe aos 20 anos e sempre trabalhei fora, atualmente sou minha própria chefa, tenho meus clientes mensais e cumpro meus horários conforme minha disponibilidade, escapando do velho estereótipo que identifica o sexo masculino como chefão único dos negócios, restando à mulher o papel de dona-de-casa. Sou um exemplo de que esse modo arcaico de pensar vem se modificando aceleradamente e com a mulher se tornou independente e administra não somente sua casa, mais também como seu trabalho.

    Começo o dia com uma caminhada matutina, refletindo e organizando a agenda diária. Minhas tarefas cotidianas são distribuídas entre a compra de materiais, coleta de resíduos, fabricação e armazenamento do sabão, controle do estoque, divulgação, vendas e entregas. Zelo pelo planejamento industrial e comercial, pela divulgação da marca, pela pontualidade na entrega e pela qualidade do meu produto. Compartilho minhas informações com os colaboradores através de reportagens e oficinas. Há uma elaboração de um projeto de oficinas a ser implantado pelo “Sabão Lele” com a proposta de ensinar toda comunidade o processo de coleta e a fabricação das três formas de sabão.

    O fato de trabalhar na minha própria casa é um ponto agradável. Tenho espaço destinado à produção, armazenamento e aplico os mesmos critérios da organização pessoal aos meus negócios. A fabricação é feita na área de serviço, dois toldos foram colocados no quintal para proteger os resíduos das chuvas e o sabão que fica em descanso. A sala de entrada foi transformada no escritório onde recepciono meus clientes e um quarto que não era utilizado serve de estoque. Dou particular atenção a críticas e aceito-as como base para o crescimento, cito o exemplo a não ser seguido o de um sabão mal sucedido que precisou ser recolhido e substituído. Minha empresa está bem organizada, pastas arquivam documentos importantes, agendas e cartelas de clientes dispostas em ordem alfabética me auxiliam no controle mensal das entregas e recebimentos. Processo a confecção dos rótulos dos produtos usando uma impressora jato de tinta. Os cartões de visita são impressos em gráficas e revelam ser bom investimento. Meu faturamento em 2010 foi de R$ 3.596,10 crescendo para R$ 13.576,80 em 2013. Erros eventuais foram corrigidos, servindo como aperfeiçoamento e crescimento, exemplo é a gordura recolhida, que passou a ser diretamente lançada em um tonel. Para o futuro pretendo construir minha fábrica, dotada de um local apropriado para o armazenamento dos resíduos e de espaço para oficinas, com pontos de venda e de coleta espalhados por toda Vila Velha.

    Aprendi que reciclagem é sinônimo de limpeza, organização e respeito com nossa Mãe Natureza, diariamente recebo doações de resíduos, vindas de pessoas de todas as faixas etárias e nas mais diversas quantidades, pois não há um volume mínimo para recolhimento.

    Há um desafio a ser superado e que é a construção da fábrica. A Vigilância Sanitária encaminhou-me para Órgão Estadual que é competente, onde me solicitou documentações e um químico responsável. Assim o Plano de Negócios será meu próximo passo com empenho na obtenção de parceria,a firma patrocinadora terá exclusividade com a empresa “Sabão Lele”.

    Recebo emails de vários estados do país me solicitando a receita do sabão e me elogiando pela iniciativa. Ministrar o próprio negócio, ser persistente e aceitar os erros são características de uma empreendedora de sucesso, as aceitações de críticas e elogios são fatores diários. Baseada na minha experiência pessoal pode afirmar que toda empreendedora terá sua posição no mercado, desde que, independente do porte de sua empresa, grande ou pequena, ela seja bem administrada. Sucesso as futuras empreendedoras.

  • SUPERANDO OBSTÁCULOS E GERANDO RENDA

    Maria de Fátima Mota Barbosa - Fátima - Produtora Rural


    Sou pescadora artesanal, vinda de uma extensa família de pescadores constituída por 11 filhos na cidade de Sumé-PB, trago inovação para geração de renda das mulheres pescadoras no Cariri Paraibano. Desde criança lido com atividade de pesca, sempre fui curiosa, assim logo que surgiu o problema da falta de mercado para o consumo da traíra, fiquei muito preocupada, vi muitas famílias sem renda e com muitas necessidades. Pois, na década de 80 com a expansão da tilápia, os pescadores se deparam com falta de mercado para a traíra, peixe campeão de vendas e abundante na região. Esta situação causou impacto negativo na renda familiar dos pescadores que praticamente deixaram de capturar a traíra. Os que ainda pescavam faziam o descarte ou utilizavam para alimentar os porcos. É neste contexto que busquei superar esses obstáculos busquei soluções para esse problema, fiquei preocupada com a gravidade desta situação, procurei estudar o problema e busquei soluções. Inicialmente identifiquei que a causa principal estava relacionada ao fato da traíra conter muitas espinhas. O que exige cuidados especiais para retirá-las na hora do consumo, além dos riscos de engasgos. . A partir disto em 2010 passei a desenvolver experiências de retirar as espinhas artesanalmente em minha residência, por varias vezes obtendo excelentes resultados. Mediante os experimentos e após analise feita pela Universidade da Paraíba, constatou-se que as técnicas utilizadas asseguram a retirada de 95% das espinhas existentes. Desta forma a traíra desfiada passa a ser consumida com maior tranqüilidade, entretanto necessita de um amplo processo de divulgação. Mediante isto surge a proposta de expandir o trabalho de retiradas das espinhas da traíra agregando novo valor ao produto e assegurando a retomada do mercado consumidor e viabilizando geração de renda para as mulheres pescadoras da região. Assim em 2011 o assunto é discutido durante assembléia dos pescadores, onde fiz uma apresentação e degustação de produtos passando a contar com adesão de um pequeno grupo de pescadores e pescadoras, que agendaram para março de 2011 a 1° oficina de qualificação da produção, com minha ajuda e a participação de mais 06 mulheres pescadoras. Durante o evento foram realizadas atividades praticas referente a cada etapa do processo de beneficiamento do pescado gerando grande motivação ao grupo. Ao longo de 2011, o priorizamos o processo de consolidação dos grupos de mulheres e a divulgação do produto no mercado. Assim foram realizadas ações de qualificação da produção; divulgação através de degustação nas escolas; no mercado local além das negociações junto aos Órgãos Governamentais para acessar os programas PNAE e PAA e o PET. Como fruto deste trabalho destacou a constituição de 02 grupos de mulheres nas cidades de Camalaú e Sumé, envolvendo cerca de 30 mulheres, cuja renda vem sendo distribuída proporcionalmente entre as componentes dos grupos. Outro destaque se refere a melhorias nutricionais na alimentação familiar e inserção da mulher no mercado de trabalho. Para realização dos trabalhos sempre procuro reunir os grupos se semanalmente para investir no beneficiamento e embalagem do pescado destinado ao mercado. Periodicamente nos reunimos para tratar dos aspectos organizacionais e sua qualificação e contam com sempre com minha assessoria, procuro reservar uma atenção e uma gestão compartilhada com os grupos.Neste processo procuro administrar com transparência, compartilhando as informações e decisões do negocio. Semanalmente realizo reuniões de trabalho, aonde discutimos o gerenciamento do negocio. Para ampliar a geração de renda das pescadoras, com meu incentivo estamos iniciando com grupo de mulheres vem através de a sustentabilidade desenvolver a produção de artesanato com pele e escamas de peixes, sendo assim teremos um aproveitamento integral do pescado, além de contribuir com o nosso planeta. A produção do pescado está estruturada com regras de funcionamento; distribuição tarefas entre os componentes (captura dos peixes, beneficiado, conservado em seguida pré cozido e processado artesanalmente, embalado e armazenado para comercialização). A estrutura de produção esta instalada na sede da Colônia dos Pescadores Z25, que desde o inicio vem apoiando o conjunto dos trabalhos realizados pelas mulheres. Inclusive destacamos que esta em fase de implantação a unidade de beneficiamento industrial do pescado com apoio do MDA. No decorrer deste período muitas conquistas foram alcançadas, apesar de atualmente o grupo esta enfrentando os efeitos da seca que comprometeu o processo de produção em 2013. Diante dos desafios ou obstáculos na condução do negócio, costumeiramente busca-se assegurar a discussão participativa e integração do grupo, amplia-se as parcerias com as instituições de apoio. Neste processo me dedico e procuro desempenhar um papel relevante na condução do negócio, incluindo relacionamento com clientes, colaboradores, fornecedores, comunidades e parceiros com os quais se relacionam sistematicamente.

    Ao longo deste processo fomos construindo caminhos que nos ensinaram a amadurecer no negocio, dentre outros destacamos a convivência em grupos; a parte administrativa e gerencial do negocio; a inclusão produtiva e social das mulheres, que mediante aos resultados como aumento do faturamento, de clientes, melhoria da qualidade dos produtos/serviços, satisfação dos colaboradores nos evidenciam os resultados. Como perspectiva para avançar nos trabalhos, buscaremos uma assessoria do SEBRAE para elaboração de plano de negocio e realização de capacitações. Investiremos na conquista de um local próprio para desenvolver atividade de beneficiamento adequadamente; conseguir selo de qualidade; criar logomarca do produto; apresentar informações nutricionais na embalagem e avançar rumo ao mercado. Considero a evolução alcançada pelo grupo no que se refere ao crescimento da atividade; participação das mulheres; aumento do numero de clientes; na geração de renda entendemos que estes resultados são motivadores tanto para os participantes dos grupos, quanto para as demais que estão acompanhando crescimento das mulheres. Sei que para ter sucesso como empreendedora se faz necessário ser persistente e corajosa, investir em qualificação. Como incentivo e apoio ao conjunto das mulheres afirmo “não desista diante dos obstáculos. Busquem pessoas que acreditam em suas idéias, que juntos chegaremos lá”.

  • PRODUTOS CASEIROS FEITOS NA FÁBRICA

    Rosângela Machado de Melo - Produtos Regionais - Pequenos Negócios


    Em 1998 vim para Natal após me separar. Trouxe na bagagem o sonho de um futuro melhor. Pedi emprego numa padaria, mas não deu certo. Desanimada, um primo me deu uma dica: deveria fazer biscoitos iguais da padaria. Eu respondi que iria fazer melhores. Comecei a sondar e optei por produzir bolos. Peguei dinheiro emprestado e comecei, mas o bolo acabava solando. Daí comecei a produzir biscoito. Cresci e vi a necessidade de comprar uma seladora para fechar os pacotes, mas não tinha avalista. Nesse dia eu conheci a vendedora Malu, que se comprometeu. Até hoje somos amigas e pergunto o motivo da confiança. Ela responde que foi sua intuição feminina. Os clientes pediam que eu fornecesse outros produtos e comecei a produzir raivinha e suspiro. Todo o nosso processo era manual. Cortava raivinha por raivinha, fazia suspiro por suspiro. Nessa época tentei comprar uma máquina pingadeira, mas voltei desanimada. Ela custava R$30.000. Então desenvolvi com um mecânico uma pingadeira artesanal. Na época investi R$1.500,00. Imitamos a engrenagem de uma máquina de biscoito portátil. Enquanto a industial fazia 80 pingos, a nossa faz 180. O que nos garante maior produtividade gastando menos tempo, menos gás. E o que é melhor, sem precisar de manutenção, nem de energia elétrica. Ela é manual. Hoje poderia comprar outra, mas não a troco.

    A máquina ainda garante um diferencial: um produto com características artesanais. Propositalmente, os bicos não tem um padrão, o que torna cada produto diferente do outro. Meus produtos são caseiros feitos em fábrica. Eles levam as marcas do nordeste. Por isso, a marca é chamada de Produtos Regionais.

    Muitas vezes fui vítima de preconceito. Como faço entregas, muitas vezes há comentários machistas. Querem me deixar constrangida ao afirmarem que para uma mulher dirigir um carro com mercadoria é difícil, mas eu supero e fujo da frase "mulher é sexo frágil". Pelo contrário, sou uma mulher que impõe respeito através da segurança que tem ao gerir sua empresa.

    Dignidade, respeito e honestidade são valores que compartilho com meus colaboradores. Respeito todos os seus direitos. Isso vale também para os fornecedores e clientes. Prezo muito o bem estar dos meus funcionários. Sempre faço reuniões e busco ainda por ambiente de trabalho que valorize o companheirismo. Opto por contratar pessoas sem experiência e adequá-los as nossas necessidades. Eles tem oportunidade de crescer na empresa. Um de meus vendedores era embalador. Remunero meus colaboradores com um valor acima do mercado. Meu forneiro ganha 7% a mais do salário de sua categoria.

    Sempre escuto as sugestões dos colaboradores. A sugestão que me orgulha de ter implantado foi a eliminação do expediente no sábado. Sugeri para eles passarmos duas semanas fazendo um teste. Então dividimos as horas do sábado na semana e percebemos que a produção se mantinha a mesma. Daí resolvi abolir o trabalho no final sábado. Isso me fez até mesmo economizar, pois só para aquecer o forno, gastávamos uma hora, o que não compensava. Ou seja, essa opção acabou ajudando a empresa.

    Percebo a necessidade dos clientes a partir da demanda do mercado e vou tentando me adequar. Hoje há produtos sem lactose, sem gluten e integrais. Mantenho ainda um trabalho no suporte aos lojistas que revendem minha marca. Tiro três dias da semana para visitá-los. Faço uma vistoria, sugiro e negocio prateleiras mais vistas e pergunto aos encarregados se eles estão sendo bem atendidos pelos entregadores. A fim de melhorar a dinâmica dos pedidos, estamos investindo na compra de tablets para os vendedores fazerem o pedido diretamente da loja do cliente.

    Hoje mantenho acordos com duas mulheres. Para uma delas ofereço parte de minha produção levando a sua marca. Esse negócio foi importante para manter uma parceria numa rota que ela dominava. Compro ainda alguns biscoitos de uma outra, que leva o nome de minha marca. Esse acordo foi feito com o intuito de disponibilizarmos para os clientes produtos fritos, que não era a nossa meta de produção, mas de distribuição.

    Sou ainda de negociar diretamente com os meus revendores. Hoje estou nos principais supermecados. Em um deles, eu vejo uma boa parceria. Em outro não. Enquanto o primeiro pega meu produto por R$ 1,60 e repassa ao cliente por R$ 3,20, o outro repassa por 9,20. Ou seja, o produto não vende, o que acaba me trazendo prejuízo, pois tenho que trocá-lo. Isso faz com que eu repense a parceria. Sou ainda de dar suporte a esses revendedores através de degustações. É assim que conquistamos novos clientes. Utilizo ainda as mídias sociais para fazer sorteio de cestas dos nossos produtos.

    Faço acordo com meus fornecedores a fim de conquistar um melhor preço. Há anos atrás, a fornecedora de ovos mais baratos se negava a me atender com a justificativa que minha empresa era muito longe. Falei com outros comerciantes da região e ela abriu uma rota com o intuito de nos atender. Antes compra 900 ovos por semana, hoje compro 15 mil. Quando o preço não está bom, negociamos.

    Sempre atendo as manifestações dos clientes finais através do uso do meu telefone pessoal, que consta nos rótulos de cada embalagem. Quando recebo alguma reclamação faço de tudo para acabar com a imagem ruim que possa ficar da empresa. Outro dia uma senhora me ligou dizendo que havia achado cabelo humano nos biscoitos. Fui ao seu encontro e percebi que era um pelo sintético do pincel que untamos a forma. Pedi desculpas e ofereci uma visita para conhecer nossa produção, quando ela chegou ofereci uma cesta com nossos produtos.

    A partir das vendas, dá para perceber se o produto agrada o cliente. Se não, opto adequá-lo ou acabo a produção. Hoje tenho 14 itens e venho tentando me adequar as novas tendências do mercado. Foi assim que criamos produtos sem lactose, gluten, biscoitos integrais e de linhaça.

    Faço controles financeiros com objetivo de manter as finanças boas. Minha grande prioridade é a construção da nova fábrica. Além de trazer melhores condições de trabalho, objetivo dar um maior conforto aos meus funcionários. Nela vai ter um refeitório, uma sala de vídeo e colchonetes. Passaremos de 200 metros quadrados para um espaço de quase 3 mil metros quadrados.

    Quero também a expansão das vendas e chegar a todo o RN. Hoje estamos em cerca de 40 municípios, mas quero chegar aos 167. Sei que isso é possível, enquanto meus concorrentes estão brigando entre si pelo mercado da capital, eu estou trabalhando a minha expansão ao interior. Hoje trabalho com tecnologia de ponta. Meus fornos são giratórios e automáticos. Assam com regularidade todos os produtos.

    Diante de tantos obstáculos, percebo que sou exemplo para outros empreendedores. Fui convidada para participar de uma palestra na UFRN. Percebi que o mais que os encantou foi a história da máquina que criei. Eles queriam até mesmo que eu vendesse a ideia. Hoje tenho uma produção mensal de 60.000 pacotes de biscoitos. Tenho um percentual de avaria de 0,4%. Que pode ser considerado insignificante e demonstra a satisfação dos clientes quanto aos biscoitos caseiros feitos na minha fábrica.

Mulher de Negócios 2014

Etapa Nacional

Categoria: Microempreendedora individual
  • Troféu Ouro – Milena Curado De Barros - ver relato
  • Troféu Prata – Germana Andrea Queiroz Oliveira
  • Troféu Bronze – Rita Fernandes Rosa Pacheco
Categoria: Produtora Rural
  • Troféu Ouro – Noilde Maria De Jesus - ver relato
  • Troféu Prata – Marlene Aparecida Machado Cruz
  • Troféu Bronze – Luena Maria Ferreira Dos Santos
Categoria: Pequenos Negócios
  • Troféu Ouro – Camelo e Maluf LTDA - ME. - ver relato
  • Troféu Prata – Cristiane Marcante ME.
  • Troféu Bronze – Azevedo e Rauber Escola de Educação Básica LTDA ME

Etapa Estadual

UF Razão Social Nome Fantasia Nome Completo Tipo De Empresa
AC M A M De Holanda - Epp Papelaria K J K Maria Alzirene Marinho De Holanda Pequenos Negócios
AC Marliz Da Costa Maciel Morais Beta Marliz Da Costa Maciel Morais Produtora Rural
AL Mariah Braz Reis Dória Mariha Dória Mariah Braz Reis Dória Microemp. Individual
AL Camelo & Maluf Ltda - Me Viva Livraria E Editora Sheila Diab Maluf Pequenos Negócios
AL Maria José Alves Maria José Alves Maria José Alves Produtora Rural
AM Centro Da Criança Ltda. Bebê E Companhia Eliana Cássia De Souza Pinheiro Pequenos Negócios
AP Maria Nasare Santos Gomes Agencia De Mensagens Amor Sem Fim Maria De Nasare Santos Gomes Microemp. Individual
AP A.M.Caxias De Sousa -EPP Panificadora Nossa Senhora De Fatima Alice Maria Caxias De Sousa Pequenos Negócios
AP Corina Balieiro Do Nascimento Corina Balieiro Do Nascimento Corina Balieiro Do Nascimento Produtora Rural
BA Flavia Da Silva Oliveira Sabor & Saúde Flávia Da Silva Oliveira Microemp. Individual
BA Mlourdes Acedo Serviços Administrativos Ltda Me Astec Contabilidade Maria De Lourdes Acedo Pinto Alves Da Cruz Pequenos Negócios
BA Luena Maria Ferreira Dos Santos Luena Maria Ferreira Dos Santos Luena Maria Ferreira Dos Santos Produtora Rural
CE Maria Silvania De Andrade 36738379315 Silvania Buffet Maria Silvania De Andrade Microemp. Individual
CE Centro De Educação Infantil E Apoio Multidisciplinar Alegria Do Saber Escolinha Alegria Do Saber Maria Nélia Helcias Moura Vasconcelos Pequenos Negócios
CE Antonia Isidorio De Lima Toinha Do Doce Antonia Isidorio De Lima Produtora Rural
DF Beatriz Pereira Dos Santos Beatriz Beatriz Pereira Dos Santos Microemp. Individual
DF Fernanda Dias Confecções Ltda Difuzi Fernanda Adriana Dias Gomes Pequenos Negócios
DF Noilde Maria De Jesus Noilde Maria De Jesus Noildes Maria De Jesus Produtora Rural
ES Zenaide Alves Dos Santos Zenaide Corte E Costura Zenaide Alves Dos Santos Microemp. Individual
ES Carpe Diem Farmácias Ltda Epp Carpe Diem Farmácias Ltda Epp Jaqueline Stöckl Pequenos Negócios
ES Vandelino Tesch E Outros Sitio Tesch - Cores Da Terra Selene Hammer Tesch Produtora Rural
GO Milena Curado De Barros Cabocla Criações Milena Curado De Barros Microemp. Individual
GO Amari Indústria E Comércio De Roupas Íntimas Ltda Me Amari Lingerie Thaise Coelho Calaça Pimenta Pequenos Negócios
GO Projeto Tambacu Ltda Projeto Tambacu Lilian Boese Hudson Produtora Rural
MA Intermidia Consultoria De Comunicação Ltda Intermídia Comunicação Integrada Adriana Fernandes Vieira Pequenos Negócios
MG Geslomar Alves De Miranda Mara Miranda Esteticista Geslomar Alves De Miranda Microemp. Individual
MG Garden Party Decorações Produções E Eventos Ana Luiza Noivas Ana Luiza Anacleto Dos Santos Pequenos Negócios
MG Regina Celia Koltunik França Viveiro Nativo Regina Célia Koltunik França Produtora Rural
MS Cerâmica Artesanal De Bonito Me Udu Cerâmica Artesanal Sineia Mara Zattoni Milano Pequenos Negócios
MS Broto Frutus - Culinaria Do Cerrado - Rosinha Lú Broto Frutus Rosa Maria Da Silva Produtora Rural
MT Fs Garcia Umburanas E Cia Ltda Me Acqua E Cia Francielly Sabaini Garcia Umburanas Pequenos Negócios
MT Salete Terezinha Pichinhaki Chácara São Pedro Salete Terezinha Pichinhaki Produtora Rural
PA Kelly Caroline Azevedo De Sousa Badarane Atelier Kdesign Acessórios Kelly Caroline Azevedo De Sousa Badarane Microemp. Individual
PA Adelcl Altragaz Cleide Benayon Cavalgante Pequenos Negócios
PA Itamara Ribeiro Mendonça Agrofrutas Itamara Ribeiro Mendonça Produtora Rural
PE Eurides Mendes De Queiroz-Me Liplig Noivas Eurides Mendes Pequenos Negócios
PE Viviane Augustinho Barbosa Locatelli 96186704491 Palmeiral Arte Sustentavel Viviane Locatelli Microemp. Individual
PB Germana Andrea Queiroz Oliveira Barraca Da Andréa Germana Andrea Queiroz Oliveira Microemp. Individual
PB Guardebem Self Storage E Escritórios Virtuais Ltda Guardebem Self Storage Ana Cristina Chianca Heim Pequenos Negócios
PB Maria Andreia Ferreira Araújo Andreia Maria Adreia Ferreira Araújo Produtora Rural
PI Olivia Maria Alves De Pinho Rodrigues 02068904357 Centro De Artes Marciais Olivia Pinho Olívia Maria Alves De Pinho Rodrigues Microemp. Individual
PI Beleza & Cia Ltda Beleza & Cia Maria De Fátima Pereira De Souza Pequenos Negócios
PI Marcilene Lusia Barbosa Marcilene Marcilene Lusia Barbosa Produtora Rural
PR Silvia Maria Pereira Escola De Dança Silvia Mariah Silvia Maria Pereira Microemp. Individual
PR M.Silveira E Cia Ltda Atelier Lucinha Silveira Maria Lucia Silveira Pequenos Negócios
PR Marlene Aparecida Machado Cruz Chácara São João Marlene Aparecida Machado Cruz Produtora Rural
RJ Padaria E Conf. Flor Do Bandeirante Flor Do Bandeirante Gracinete Telles Pequenos Negócios
RN Silvana Cordeiro Da Silva Studio De Beleza Silvana Cordeiro Silvana Cordeiro Da Silva Microemp. Individual
RN Massas E Molhos Restaurante Ltda - Me Massas & Molhos Patricia Roberta Andeira Da Cruz Chaves Pequenos Negócios
RO J.M.R De Moura - Me Total Centro Automotivo Janaina Mota Rueda De Moura Pequenos Negócios
RR Cm Braz -ME Casa Do Cabeleireiro Claudia Mateus Braz Pequenos Negócios
RR Genira Borges Bertos Sitio São Lucas Genira Borges Bertol Produtora Rural
RS Patricia Conceição Benevides Empório Do Fio Patricia Conceição Benevides Microemp. Individual
RS Cristiane Marcante Me Cristiane Marcante Decoração Cristiane Marcante Pequenos Negócios
RS Flávia Tais Malacarne Sítio Tutti Fiori Flavia Tais Malacarne Produtora Rural
SC Rosani Antunes Nanny Bordados Rosani Antunes Microemp. Individual
SC Azevedo E Rauber Escola De Educação Básica Ltda Me Saber Centro De Educação Profissional Silvia Maria Rauber Pequenos Negócios
SC Margarida Matos De Mendonça Fungibrasilis & Verduras Verdes Margarida Matos De Mendonça Produtora Rural
SE Maria José Da Silva Lela Bordados Maria José Da Silva Microemp. Individual
SE Márcia Fabiana Farias Souza Menphis Centro De Saúde E Bem Estar Márcia Fabiana Farias Souza Pequenos Negócios
SE Maria José De Jesus Oliveira Maria Da Horta Maria José De Jesus Oliveira Produtora Rural
SP Rita Fernandes Rosa Pacheco Mei Clínica De Podologia E Estética Rita Pacheco Rita Fernandes Rosa Pacheco Microemp. Individual
SP Milene Rosenthal Lobato Correia Psicolink Milene Rosenthal Lobato Correia Pequenos Negócios
SP Produtora Rural Maria Fernanda Guerreiro E Outra Maria Fernanda Guerreiro Produtora Rural
TO Marcilene Da Silva Lima Márcia Cabelereira Marcilene Da Silva Lima Microemp. Individual
TO Planej Contadores Associados Planej Contabilidade Vânia Labres Da Silva Pequenos Negócios

Fotos - Mulher de Negócios 2014

Fotos por: Thiago Rodrigues.


  • Cabocla Criações: bordados que me levaram ao mundo

    Milena Curado De Barros - Cabocla Criações - Microempreendedora Individual


    Sou Milena Curado de Barros. Na minha trajetória, muitas me ensinaram e incentivaram mas, neste momento, quero dedicar as minhas conquistas profissionais à Vovó Wanda, que me ensinou a bordar e tocar a vida com delicadeza e firmeza, como convém às bordadeiras. Hoje, peças de vestuário e decoração criadas por mim, com os bordados ensinados por ela, passeiam em vários estados do Brasil, países do mundo, Feiras, Eventos, telenovelas e são tema de pesquisas acadêmicas, exposições e de um filme curta-metragem, feito com recursos públicos estaduais.

    O começo foi em 2005 quando, numa daquelas crises financeiras que por vezes experimentamos, passei a fazer, junto com a minha mãe, roupas de algodão cru, decoradas com os antigos bordados da Vovó, e a coloca-las à venda em lojas de terceiros, em sistema de consignação. Em 2007 tomei coragem e criei a Cabocla Criações, uma microempresa individual, misto de loja, atelier e ponto de encontro, localizada numa antiga residência de estilo colonial, na Praça do Coreto, Centro Histórico da Cidade de Goiás-GO, um dos mais importantes destinos turísticos do Estado e Patrimônio Histórico Mundial. O nosso principal público consumidor é formado por turistas e o carro-chefe das nossas vendas são os vestidos, que se somam às outras peças de roupa, capas de cadernos, bolsas, carteiras, almofadas, porta-trecos e aventais.

    A escolha do nome e da localização do meu estabelecimento não foi aleatória nem tinha apenas interesses comerciais, foi parte de uma das estratégias que escolhi para a minha marca: a Diferenciação. Desde o início, decidi que a Cabocla Criações seria mais que uma mera confecção de roupas e acessórios, seria uma forma de registro, preservação, divulgação e celebração da miscigenação e diversidade dos patrimônios histórico, cultural e natural do nosso país, por meio do uso de elementos da cultura, fragmentos da memória e produção artesanal; que retrataríamos as belezas da antiga Vila Boa de Goiás, com a sua gente, geografia, fauna, flora, casario, versos de Cora Coralina; que bordaríamos pontos tradicionais (uns que até já haviam deixado de ser feitos e que nós, com este trabalho, ajudamos a trazer de volta à atualidade) e que usaríamos algodão, mesmo tecido das roupas usadas pelas negras nos séculos XVIII e XIX.

    Outro diferencial da Cabocla é que as nossas roupas são feitas para abrigar os mais diversos tipos de corpos, não possuem numeração rígida e têm a medida certa pra caber em variadas silhuetas pois privilegiamos modelos que se adaptam às curvas de cada um, “mágica” conseguida graças ao uso de cordões, faixas e franzidos que possibilitam ajustes e ajudam a melhorar a autoestima das que as usam.

    A outra estratégia que escolhi foi a Responsabilidade Social. Assim que me deparei com a necessidade de aumentar a produção e com a escassez local de mão de obra qualificada, resolvi que o meu trabalho não iria contribuir apenas com o sustento da minha família; resolvi que teceria uma rede informal de solidariedade, privilegiando empregar pessoas em alguma situação de precariedade econômica ou vulnerabilidade social. E assim, lá fui eu, com os bordados da minha avó, bater à porta de costureiras moradoras de áreas periféricas da cidade e da Unidade Prisional de Goiás, onde iniciei, em janeiro de 2008, o projeto “Cabocla – Bordando Cidadania”, que consiste na capacitação de atendidas pelo sistema carcerário e transformação destas em mão de obra. Semanalmente, vou à Cadeia para ensinar a arte do bordado aos participantes do projeto e as contrato, informalmente, para bordar nossas peças. Com base na Lei nº 7.210/1984, que regula o funcionamento dos presídios e o trabalho das presas e na Lei de Execução Penal (nº 12.433/2011), cada uma delas decide a quantidade de peças que bordará e a cada 03 dias trabalhados tem reduzido 01 dia da sua pena. O pagamento é feito por produção, à vista, e varia conforme o tamanho e complexidade do desenho. Além da remissão de pena, aprendizado de um ofício e obtenção de renda, o bordado traz ensinamentos ao acionar memórias e sociabilidades, durante as conversas que entremeiam a tarefa de bordar e fazem o tempo passar mais veloz, diminuindo o sofrimento que a privação da liberdade traz.

    No começo, a minha presença causava uma certa apreensão em todas, inclusive em mim, mas aos poucos fomos ganhando confiança uns nos outros e, hoje, posso dizer que faço parte da paisagem local. O sucesso foi tão grande que ampliamos o alcance e dois anos depois, em 2010, incluímos no projeto egressas e familiares de internas, pessoas e famílias que passaram a ter na Cabocla Criações a sua principal, e muitas vezes única, fonte de renda. Das 05 pioneiras que participaram da primeira oficina, atualmente trabalhamos com 30% das atendidas pela Unidade Prisional de Goiás, entre reeducandas dos regimes fechado e semiaberto, famílias de internas e egressas.

    Tendo a Diferenciação e a Responsabilidade Social como estratégias de empreendedorismo e de valorização, agregamos valores à nossa marca e nos protegemos contra a rivalidade competitiva do mercado. Por enquanto, nossas vendas são feitas de forma tradicional e presencial; ainda não temos site, apenas uma página no Facebook, mas nos esmeramos no mix de produtos e na carteira de clientes. Utilizamos a técnica de descontos e exposição de manequins na entrada da loja e investimos em embalagens e etiquetas personalizadas com a logo da empresa e informações sobre quem somos, cartões de visita, folders e participação em Feiras e Exposições em âmbito nacional, estadual e municipal. Mensalmente, produzimos, em média, 200 peças, geramos renda para 20 pessoas e temos um faturamento acima da média municipal no segmento artesanal. Ainda não temos um plano de vendas estruturado nem utilizamos métodos científicos para fazer o nosso plano de vendas e produção; nos baseamos nas vendas efetuadas, na sazonalidade turística da cidade e na predileção das clientes. Sabemos que para continuarmos a progredir e termos maior penetração em novos mercados precisamos implantar melhorias, como: contratar vendedoras, ampliar parcerias e adotar sistemas de administração, controle de caixa e outras estratégias de venda (o que já estamos providenciando). Mesmo assim, em 07 anos de existência, nos tornamos um caso de sucesso. Os seiscentos reais emprestados por minha irmã pra começar a produção, em 2005, se multiplicaram. Estimo que crescemos mais de 300%, somos uma marca sólida, temos a lealdade dos consumidores, reconhecimento nacional e estamos no mundo!

     

    Sinceramente, quando comecei não imaginava chegar tão longe. Muito obrigada, Vovó Wanda e todas que constroem conosco, a cada dia, este negócio lucrativo, que se tornou exercício de cidadania e experiência transformadora de muitas vidas, chamado Cabocla Criações! 

    Mais que uma empresa bem sucedida, com responsabilidade social e perfil inovador, somos uma prova viva de que é possível sim fazermos do limão uma limonada. Não importa que erros tenha cometido nem os desafios que tenha a enfrentar, você sempre pode fazer um hoje e amanhã melhores!

  • Os Morangos de Ouro

    Noildes Maria De Jesus - Produtora Rural


    Tenho 44 anos e 9 filhos. Eu morei com minha sogra sem ter direito de reclamar de nada, passei quase cinco anos de minha vida trabalhando em várias chácaras antes de ter a minha. Observando o processo de produção dessas chácaras decidi que eu também era capaz de cultivar morangos e outras frutas e hortaliças. Um dia surgiu um acampamento na estrada por onde passava para meu trabalho, naquele momento eu entendi, aquela era a oportunidade de ter meu próprio canto. Houve a divisão de terras e vim junto com meus filhos, que eram muito pequenos, para esse pedaço de chão. Moro aqui há 12 anos.

    O lugar era ermo, a terra ressequida, o vento varria a terra batida levantando a poeira que manchava de vermelho a lona preta que cobria nosso abrigo embaixo de um pé de abacate. Durante cinco anos não tive ânimo de começar algo, faltava-me força porque toda que tinha deixava no trabalho com produções alheias, era assim que ganhava o sustento para meus oito filhos. Foi durante aquele dura lida diária que entendi que a força que utilizava nas roças dos outros era a mesma que me tiraria daquela extrema carência. Reuni meus filhos e determinei aos mais velhos que cavassem uma cisterna, plantamos brócolis e me inscrevi na Emater. O meu sonho era plantar e produzir.

    Como tinha acabado de ganhar nenê, com o auxílio maternidade consegui fazer dois cômodos para morar com os nove filhos, eu precisava plantar para ter o nosso sustento. Nessa época fiz o PRONAF e recebi R$5000 para plantar beterrabas. Eu já tinha trabalhado para os outros plantando morangos e AQUELA era A MELHOR época de plantar morango. Assim, primeiro plantei 10.000 pés de morango e depois com o dinheiro que recebi plantei a beterraba, e ainda deu para pagar o PRONAF e as despesas do plantio do morango. Deu certo. Continuei plantando morangos e outras hortaliças como alface, cheiro verde, banana e outros. No primeiro ano plantei 10.000 pés de morango, no segundo ano plantei 20.000 pés, no terceiro ano plantei 25.000 pés e agora tenho 30.000 pés de morango. No início tive muitas dificuldades, mas frequentei muitos cursos de capacitação, apliquei as técnicas aprendidas e agora consigo produzir morango durante o ano todo. Esse é um dos meus diferenciais, além de ser um produto que está em transição saindo do agrotóxico para o orgânico. Os outros produtores produzem com agrotóxico, e o meu pode ser ingerido direto do pé com pouco agrotóxico. Entrego para o PAA e PNAE e quero fornecer um bom produto para as crianças, por enquanto só as mudas que ainda tem agrotóxico.

    Cultivo outras verduras, hortaliças e frutas como mandioca, vagem, rabanete, abobora, banana, mas o principal é a produção de morangos.

    Por ser mulher e estar à frente dos negócios, as minhas dificuldades no início foram maiores, o banco não me dava atenção, não acreditava que eu pudesse vir a ser uma boa cliente, mas no governo não tive problemas e isso me ajudou bastante. Com muito trabalho planejado e pela minha atitude positiva de crescer para dar o melhor aos meus filhos fui reconhecida. Hoje, minha propriedade é visitada por estudantes de cursos técnicos tanto brasileiros quanto estrangeiros, minha história serve de incentivo para outras empreendedoras rurais, posso dizer que não mais tenho dificuldades de tratar de negócios com ninguém.

    Sempre fui muito interessada em aprender, estudo das 7 às 11 horas diariamente, trabalho durante o restante do dia e todos os dias faço o controle daquilo que vendo.

    Sempre que tenho novidades passo para os meus filhos e meu sobrinho que são os meus colaboradores, sempre focando a melhoria do nosso trabalho. No dia a dia eu cuido da embalagem, do plantio, das compras e das vendas. Os meus filhos quase todos os dias colhem e embalam, e meu sobrinho distribui e vende os produtos, cada coisa tem sua hora certa combinamos trabalho e estudo, pois sem conhecimento não há progresso.

    A melhor coisa foi ter feito a barreira, que ajudou muito a desenvolver tudo o que planto na terra. Depois do projeto PAIS e cursos da Emater aprendi muito mais, inclusive, a preparar o meu próprio adubo. Sempre que aparece um problema procuro informações na Emater a fim de solucionar os problemas.

    Como meus filhos é que me ajudam, quando recebo dou 30% para eles como incentivo e pagamento. Eles são muito prestativos e me ajudam muito. Eles fazem parte de um grupo de jovens onde são orientados sobre vários temas como família, passeios e viagens, e inclusive sobre a importância da agricultura para a família. A educação que procurar dar aos meus filhos é que trabalhar na produção é digno que fazemos um bem muito grande para a natureza.  Com o tempo aprendi a plantar morango para ter o ano inteiro. Para isso troquei o tipo de muda e fiz o túnel, assim consigo produzir o ano inteiro e atender a demanda. Trabalhei muito com as orientações da Emater e do Sebrae, até conseguir a qualidade de um bom produto e para produzir o ano inteiro. Quando plantei morangos com a semente Califórnia tive prejuízos daí mudei para camarosa outro tipo de semente e a qualidade melhorou muito. Vou arriscando sempre com muita cautela para não ter prejuízo.

    Com isso aumentei o faturamento e os clientes também aumentaram. Hoje, eles vêm a minha casa buscar o morango. Ainda entrego no PAA E PNAE tendo mais satisfação dos colaboradores pela nossa safra, e maior satisfação dos clientes pela qualidade da fruta. Quero muito mais, dei início a construção de um galpão para aumentar a produção de morangos e quero trabalhar com processamento de alimentos para reduzir as perdas. Quero processar os morangos aqui mesmo e entregar pronto para o consumo, limpo e embalado. Estou quase concluindo meu curso de agronegócio, negocio certo rural, e estou procurando o PRONAR para fazer um levantamento da reserva financeira.

    Hoje, tenho a certeza que foi através de muita união com meus filhos, união na comunidade, que tivemos sucesso. Trabalhar em grupos na comunidade, compartilhar informações de projetos que dão certo. Os visitantes estrangeiros acham o meu trabalho bem desenvolvido e admiram minha produção. A barreira foi um método que deu muito certo para o crescimento da produção. Outros produtores rurais implantaram o mesmo modelo e deu certo. Isso é colaboração, espírito de cooperativismo.

    Eu diria para as mulheres que estão iniciando que têm que ir à luta sem olhar para os obstáculos que sempre existem. Não desistir e persistir naquilo que quer que vale a pena. Tratar as dificuldades como uma barreira a ser vencida, pensar que do outro lado desta barreira há um trunfo, a recompensa do trabalho digno e honrado. Persistir sempre, desistir nunca.

  • De funcionária publica a empresária

    Camelo e Maluf LTDA - ME - Viva Livraria e Editora - Pequenos Negócios


    Minha história começa na época em que fui professora de literatura e teatro na universidade federal de alagoas. Lá, além de professora, exerci cargos de liderança e gestão, que chegaram a me levar a diretora da editora da ufal e inclusive ao cargo de vice presidente da ABEU (Associação Brasileira das editoras universitárias).

    Isso se deu como reconhecimento a minha paixão pelo trabalho e minha dedicação em tudo que faço. Decorrente deste namoro com os livros e editoriais, após estas experiências, começou a se criar o sonho de ter meu próprio negócio, Mas achava que poderiam haver conflitos de interesses, e sendo eu orientada pela ética, não achava que deveria abri-lo até ter cessado qualquer vínculo com a editora da ufal. E assim, se passaram 9 anos de diretoria e então chegado o momento propicio, resolvi por razoes pessoais me desligar da editora. Parecia chegar o momento de dar novos rumos a minha vida... eu me perguntava: será que agora vou dar vida a meu grande sonho de ter uma editora própria?

    Fui a são Paulo para a bienal do livro, e lá tive vários incentivos e até promessa de apoio de editoras grandes para eu não abandonar a área, uma vez que ficaram sabendo que eu me desligaria da editora da ufal.

    Assim, voltando a Maceió, ainda sem ter certeza se colocaria a editora, resolvi fazer o EMPRETEC do SEBRAE e fiz também a oficina de plano de negócio. Lá tive a certeza que eu montaria uma livraria. Fui a campo fazer meu próprio plano, realizei pesquisa in loco sobre concorrentes, clientes, ponto comercial, fornecedores, avaliação de mercado, estimativa de ganhos e custos em planilhas, etc. isto foi fundamental para o sucesso do negócio e para que eu tivesse a coragem final que faltava, tomando a decisão com base numa análise de dados e oportunidade de mercado, e não na emoção apenas.

    Em setembro de 2012, eu já estava com o plano feito e com a decisão tomada. Em apenas um mês, abri empresa, escolhi o ponto comercial, planejei a reforma do ponto, contatei fornecedores, tudo segundo meu plano de negócio. A empresa Ficou pronta em novembro de 2013 e assim nascia a livraria VIVA, já com um inovador conceito em Alagoas, promovendo além de ponto comercial de livros, a promoção de eventos culturais e também a oferta de serviços de editora.

    Já comecei, portanto, com vários diferenciais no mercado, até porque na avaliação do concorrente sabia que viria uma grande rede de livrarias pra Maceió e então, não vi como dificuldade, embora tenha me assustado muito naquele momento, e portanto fui atrás de um nicho de mercado, e deu certo! Criei desde o início projetos inovadores como: o café com letras, tarde de autógrafos, contação de histórias para crianças, livros de editoras alternativas, com livros de vários países exclusivos!

    Pra chegar neste patamar, tive que arregaçar as mangas e isso, foi uma das maiores superações que passei ao ser empresaria, pois como funcionaria publica estava acostumada a tudo estar disponível em minhas mãos, mas como empresaria, fiquei por noites sem dormir tendo inclusive que acompanhar obra na madrugada, lidando com área masculina pra concretizar meu sonho. O meu amor pela nova ideia e pelo desafio renovavam minhas forças e consegui superar este choque de realidade.

    Meus valores de persistência, qualidade em tudo que faço, criação e inquietude, fizeram concretizar os pilares de meu negócio. Caso eu não tivesse enraizado estes valores, eu não teria colocado em pratica meu plano, pois são muitas dificuldades, principalmente pra mim, que não tinha experiência empresarial nenhuma. Fiz das dificuldades, oportunidades de aprendizado e nisso que acredito.

    Pra fazer tudo isso funcionar, atuamos com uma forma democrática de gestão, em que fazemos reuniões e deixamos que os próprios colaboradores decidam ações pertinentes, por exemplo, a quem folga no sábado, quem pode cobrir o evento extra no fim de semana, além de tomar muito de suas opiniões, pois são muito capacitados. Todas as funções entre os 4 colaboradores são definidas, o que gera organização e um bom ambiente de trabalho.

    Quanto aos clientes, temos cartão fidelidade, com regulamento inclusive, além de eu ter todos meus clientes cadastrados em sistema. Faço um acompanhamento de comportamento de venda de livros diariamente pra ver qual vendeu, a quem vendeu, etc. assim, posso ligar depois para cada cliente pra oferecer outros da mesma linha. Ou seja, fazemos um relacionamento com o cliente e por eu ser uma devoradora de livros, ofereço gratuitamente uma assessoria na venda ao cliente e faço questão de atender, dar boas-vindas, e até ofertar nosso café expresso que é gratuito. Fazemos divulgação por facebook, temos site, folders e news letters.

    Tenho um regulamento de fidelidade, que faz perguntas no sentido de qual a preferência do cliente quanto aos livros. Isso me dá respostas de quais as necessidades dos mesmos. Nós ligamos diretamente ao cliente quando dá problema. 

    A avaliação da satisfação dos clientes se dá com a conversa nas mídias sociais e quando da visita deles na livraria. 

    Fazemos controles financeiros com planilha entre receita e despesa, sendo gerados gráficos para análise do desempenho. Tenho isso desde a abertura da empresa e assim pude ver o quanto ela vem crescendo. 

    Pra nos manter atualizados no mercado, pertencemos a LIBRE (liga brasileira de editoras) e ANL (associação nacional das livrarias) que me ajudam a me manter informada quanto as novidades do setor, além da participação em bienais, etc.

    Conseguimos marcar presença no mercado como uma grande fonte de cultura no estado, além do papel fundamental neste que consideramos nosso PROJETO SOCIAL de fomento da cultura regional, por meio da EDITORA VIVA, que desenvolve e cria meios para a editoração de livros destes autores regionais, que tinham pouca oportunidade de publicar seus livros. Foi assim que fui reconhecida em vários prêmios pela minha dedicação aqui em Alagoas, com a comenda de Cidadã honorária maceioense, por exemplo.

    Desenvolvemos bastantes parcerias e lembram daquela livraria que contei no início da história, que seria minha concorrente e que eu estava temerosa? Pois é, hoje ela é minha parceira a medida que ela vende os livros que produzo.

    O plano de negócios ajudou bastante no planejamento e tento segui-lo a risca até hoje. E tem funcionado! 

    A visão é se consolidar mais ainda no mercado, melhorando o relacionamento com clientes atuais e potenciais. Pretendo expandir e investir mais no setor de eventos, que sou praticamente só no mercado! O legado de todo este período, é o crescimento em quase 300% em apenas 1 ano e 5 meses de vida! Conseguimos sair de 3 para 4 funcionários, aumentei o tamanho de minha livraria já no terceiro mês de vida, passando de 50m2 para 110m2, aumentei o número de livros disponíveis de 1500 títulos para os 7500 títulos atuais. Controlo tudo isso no computador, pois sei que é a leitura necessária pra eu entender minha empresa e poder agir pra melhorar. Mas que é gratificante vê-la crescer! VIVA o empreendedorismo feminino, VIVA a cultura, VIVA Editora e livraria, VIVA A VIDA!

Mulher de Negócios 2015

Etapa Nacional

Conheça abaixo as 9 (nove) empreendedoras vencedoras nacionais, ciclo 2015.
Categoria: Microempreendedora individual
  • Troféu Ouro – Fabiana Barbosa Cabral - Street Bags - ver relato
  • Troféu Prata – Thais Sainara Peretto Picaz Bilhalba - Diraça Distribuidora de Rações
  • Troféu Bronze – Marcela Gizzi Mendes - La Gizzi
Categoria: Produtora Rural
  • Troféu Ouro – Maria de Fatima Freitas Paiva - Cooperativa Repescar - ver relato
  • Troféu Prata – Yara Bento Pereira Sune - Estância Querência
  • Troféu Bronze – Rosely Naomi Takata Tamada - Tamada Plug Plants
Categoria: Pequenos Negócios
  • Troféu Ouro – Jordana de Castro Saldanha Repezza - Salgadart - ver relato
  • Troféu Prata – Gladys Mariotto Rodrigues – Já Entendi
  • Troféu Bronze – Gilsan Pessoa Santos - Escola Kennedy

Etapa Estadual

UF Razão Social Nome Fantasia Nome Completo Tipo De Empresa
AC VANUZA PEREIRA DE SOUZA NATURARTE ARTESANATO E JARDINAGEM VANUSA PEREIRA DE SOUZA Microemp. Individual
AC SANTOS & LIMA LTDA - ME RAPIDAO TROCA DE OLEO DANIELLA MARIA LIMA DOS SANTOS Pequenos Negócios
AL LUCINEIDE BISPO DOS SANTOS LUARTE RECICLA LUCINEIDE BISPO DOS SANTOS Microemp. Individual
AL NEUZETE DOMINGOS SILVA - EPP ANALISE ASSESSORIA CONTABIL NEUZETE DOMINGOS SILVA Pequenos Negócios
BA CLARA FARIA TRIGO 80071309500 CLARA CLARA FARIA TRIGO Microemp. Individual
BA ESCOLA PESSOA SANTOS LTDA ESCOLA KENNEDY GILSAN PESSOA SANTOS Pequenos Negócios
BA COOPERATIVA DE PESCADORES E MARISQUEIROS DE VERA CRUZ – BA (REPESCAR) COOPERATIVA REPESCAR MARIA DE FATIMA FREITAS PAIVA Produtora Rural
CE MIRIAM MERCIA DA SILVA ANDRADE MIRIAM MERCIA DA SILVA ANDRADE MÍRIAM MERCIA DA SILVA ANDRADE Microemp. Individual
CE FRANCISCA FRANCIMAR ALVES CAMELO 04782765320 FLORENCCI MODA ÍNTIMA FRANCISCA FRANCIMAR ALVES CAMELO Pequenos Negócios
CE SÍTIO RIACHO DOCE MARIA DEIJANETE ARAUJO MARIA DEIJANETE ARAUJO Produtora Rural
DF REPEZZA & CASTRO COMÉRCIO E INDÚSTRIA DE PRODUTOS ALIMENTÍCIOS E SALGADOS LTDA SALGADART JORDANA DE CASTRO SALDANHA REPEZZA Pequenos Negócios
ES GABRIELA PERUZZA QUEIROZ SWEET MONSTER TOYS GABRIELA PERUZZA QUEIROZ Microemp. Individual
ES KELY MAGAZINE LTDA ME KELY MODAS KELY ALINY NEVES SELVATICI Pequenos Negócios
ES ASSOCIACAO DAS AGRICULTORAS FAMILIARES DA COMUNIDADE DE CORREGO DA PRATA MULHERES DA PRATA ROSAGELA BISI ZUQU Produtora Rural
GO CASSIA CORREA BORGES ESCOLA DIRIGIR SEM MEDO CASSIA CORREA BORGES Microemp. Individual
GO T&D CONSULTORIA DE PESSOAS EIRELI - ME T&D CONSULTORIA DE PESSOAS TATHIANE DEÂNDHELA E SILVA Pequenos Negócios
GO YARA BENTO PEREIRA SUNE FAZENDA SAMAMBAIA II MARIA ELISA CASTRO PAZ Produtora Rural
MA IANA MINELLE S DE ARAUJO MADAME BIJOUX IANA MINELLE SILVA DE ARAÚJO Microemp. Individual
MA MRR BEBIDAS DO MARANHAO TIQUIRA BRASIL MARGOT STINGLWAGNER Pequenos Negócios
MG COIFFURE VERA DE OLIVEIRA LTDA - ME COIFFURE VERA DE OLIVEIRA VERA LUCIA RODRIGUES DE OLIVEIRA Pequenos Negócios
MG ALBERTINA AMBIEL JUNG CAPRIL SANTA CECILIA MARLI ALVES DA SILVA Produtora Rural
MS FABIANA BARBOSA CABRAL STREET BAGS FABIANA BARBOSA CABRAL Microemp. Individual
MS SMART PET COMÉRCIO DE PRODUTOS PARA PEQUENOS ANIMAIS LTDA SMART PET BIANCA MENEZES RAVAGNANI Pequenos Negócios
MS MARIA ELISA DE CASTRO PAZ MARLENE MARLENE DE LIMA COELHO Produtora Rural
MT BRINE DE MATOS 00295722150 ATELIER CORES DE BRINE BRINE DE MATOS Microemp. Individual
MT EUDA T. PINHEIRO CONTÁBILE EUDA TEREZINHA PINHEIRO Pequenos Negócios
PA CONSTRUTORA LIMA VIEIRA LTDA - EPP CONSTRUTORA LIMA VIEIRA MARIA DAS GRAÇAS LIMA VIEIRA Pequenos Negócios
PA JUCILEIA DA COSTA CORDEIRO DA SILVA SITIO JARDIM DE DEUS JUCILEIA DA COSTA CORDEIRO DA SILVA Produtora Rural
PB JEMIMA JORGE CARNEIRO LITTLE DOVE JEMIMA JORGE CARNEIRO Microemp. Individual
PB JANEIDE OLIVEIRA COSTA - ME JANEIDE CABELEREIRAS JANEIDE OLIVEIRA COSTA Pequenos Negócios
PB SILVANIA MARIA DE LIMA CORDEIRO SILVANIA AGROECOLÓGICOS SILVANIA MARIA DE LIMA CORDEIRO Produtora Rural
PE ANA MARIA BEZERRA CLEOPHAS MERCADINHO SANTA CATARINA ANA MARIA BEZERRA CLEOPHAS Microemp. Individual
PE ALMEIDA E CARVALHO SERVIÇO DE DEPILAÇÃO LTDA DEPP CINTHIA DOS SANTOS ALMEIDA Pequenos Negócios
PI MARIA DOS REMÉDIOS DE SOUSA TAPIOCARIA MIX MARIA DOS REMÉDIOS DE SOUSA Microemp. Individual
PI FRANCINEIDE BORGES FRAN CABELOS FRANCINEIDE BORGES Pequenos Negócios
PI ELVIRA MARIA DE JESUS AP FRUTAS MARIA DE LOURDES PEREIRA DE SOUSA Produtora Rural
PR VANESSA COTRIN SILVA 04128327980 POP DOUG VANESSA COTRIN SILVA Microemp. Individual
PR ALETÉIA INTELIGÊNCIA EDUCACIONAL LTDA JÁ ENTENDI GLADYS MARIOTTO RODRIGUES Pequenos Negócios
PR MARIA DE LOURDES PEREIRA DE SOUSA MEL FLORESTA ALBERTINA AMBIEL JUNG Produtora Rural
RJ SILVIA BARRETO DA SILVA BRAGA PRONTO SOCORRO CAPILAR BABELLE SILVIA BARRETO DA SILVA BRAGA Microemp. Individual
RJ CONFIARE ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA CONFIARE CRISTIANE ALVES DE ANDRADE Pequenos Negócios
RJ ELVIRA MARIA DE LIMA DIAS SÍTIO RIACHO DOCE MARILIS DA CONCEIÇÃO PEREIRA Produtora Rural
RN ROSANA MORAIS DA SILVA GÊMEAS MANICURE ROSANA MORAIS DA SILVA Microemp. Individual
RN HRDS FARMACIA DE MANIPULACAO EIRELI EPP SOLUI FARMÁCIA DE MANIPULAÇÃO LUCIANA CARLA DANTAS ZARANZA Pequenos Negócios
RN MARIA DEIJANETE ARAUJO LIMA E DIAS ELVIRA MARIA DE LIMA DIAS Produtora Rural
RO ELVIRA MARIA DE LIMA DIAS OXIGENIO DA AMAZONIA MARIA APARECIDA CONDE Pequenos Negócios
RR E. EMIDIA LOPES SOARES FANTASIAS DE AMOR SEX SHOP ELIANA EMIDIA LOPES SOARES Pequenos Negócios
RS THAIS SAINARA PERETTO PICAZ BILHALBA DIRAÇA DISTRIBUIDORA DE RAÇÕES THAIS SAINARA PERETTO PICAZ BILHALBA Microemp. Individual
RS LOJA PATY'S COMERCIO DE VESTUÁRIO LTDA LOJA PATY'S TATIANI BEATRIZ HERRMANN Pequenos Negócios
RS MARLI ALVES DA SILVA ESTÂNCIA QUERÊNCIA YARA BENTO PEREIRA SUNE Produtora Rural
SC FERNANDA SANT ANA FURTADO 07819589973 TURMA DA PULGA FERNANDA SANT'ANA FURTADO Microemp. Individual
SC BIOART BIOCOSMÉTICOS BIOART BIOCOSMÉTICOS SORAIA ZONTA Pequenos Negócios
SE LAURA FIGUEIREDO ADVOGADOS ASSOCIADOS LAURA FIGUEIREDO ADVOGADOS ASSOCIADOS LAURA CRISTINA MACHADO FIGUEIREDO VELOSO FREIRE Pequenos Negócios
SE MARLENE DE LIMA COELHO ELVIRA ELVIRA MARIA DE JESUS Produtora Rural
SP MARCELA GIZZI MENDES 215.240.088-77 LA GIZZI MARCELA GIZZI MENDES Microemp. Individual
SP ESCOLA DO MECÂNICO LTDA - ME ESCOLA DO MECÂNICO SANDRA HELENA NALLI Pequenos Negócios
SP ROSELY NAOMI TAKATA TAMADA TAMADA PLUG PLANTS ROSELY NAOMI TAKATA TAMADA Produtora Rural
TO FRANCISCA ALVES DOS SANTOS ME CRISTAL UTILILIDADES E PAPALARIA FRANCISCA ALVES DOS SANTOS Pequenos Negócios


Fotos - Mulher de Negócios 2015

Fotos por:


  • Empreendedorismo sobre rodas

    Fabiana Barbosa Cabral - STREET BAGS - Microempreendedora Individual


    Meu nome é Fabiana Cabral. Tenho 37 anos, casada e mãe de três filhos. Sou também administradora, mestre em desenvolvimento local e dava aulas em cursos profissionalizantes em Campo Grande (MS). Perdi o emprego quando meu marido, engenheiro civil, foi transferido para Araçatuba em 2013. Moramos lá por três meses. Esse curto período de tempo foi o suficiente para vislumbrar uma oportunidade de negócios. Ao redor da cidade, ficam localizados os polos industriais de produção de bolsas e acessórios e a venda desses produtos foi a minha oportunidade de renda.

    Retornei à capital de Mato Grosso do Sul com oito bolsas para vender a amigas e familiares. Aquilo não era apenas lucrativo. Era o que eu gostava de fazer! Os próprios fornecedores me enviavam os produtos.

    A variedade de bolsas e acessórios aumentou, assim como minha cartela de clientes. Resolvi tornar a minha atividade em um negócio formal com baixo investimento e custo operacional. Tornei-me microempreendedora individual.

    Comprei uma Kombi 65 e montei uma loja móvel. Chamo pelo apelido "vintage". Não transporto apenas bolsas e acessórios. Levo conforto e comodidade às clientes.

    Com meu automóvel antigo, superei preconceitos e quebrei paradigmas de que mulheres não dirigem carros pesados. Conduzo, limpo, lavo e levo o veículo na oficina, se necessário.

    Todo dia, enfrento um novo desafio. O mercado exige comprometimento e dedicação. Conheço cada cliente, seu estilo e necessidade. Trabalho com as redes sociais para fazer divulgação. O Facebook e Instagram permitem que eu mostre a clientes a foto do produto. É uma maneira nova de vender. Mantenho também um grupo no WhatsApp para o qual envio promoções e novidades.

    Utilizo o Zero Paper, um software com pagamento anual que me permite fazer o controle da minha empresa. Posso ver como andam as vendas, lanço despesas fixas e variáveis, assim como meu pró-labore. Os dados gerados são utilizados para verificar como anda a saúde financeira do negócio.

    Faço minha programação mensal de visitas e divulgo as datas. Fico por dentro das tendências de moda e viajo para conhecer novos fornecedores. Já tenho agendado pelo Senac um curso de personal stylish.

    Por enquanto, ainda não tenho funcionários. Mas, tenho planos para crescer. Quero montar um e-commerce e contratar colaboradores para esta expansão.

    Recentemente, montei um grupo de lojas móveis de diversos segmentos de Campo Grande para que possamos nos reunir toda semana em um ponto da cidade. Queremos unir forças para crescermos juntos! Faço também parcerias com empresas voltadas ao público feminino, geralmente boutiques de roupas e trocamos indicações em redes sociais.

    Vendo ecobags que são multiuso e reutilizáveis. Elas podem substituir as sacolas plásticas. Também utilizo minha loja como posto de venda para convite de eventos do Instituto Cabral, um espaço lúdico para crianças com Síndrome de Down.

    Através de erros e acertos, aprendi que é necessário atender grupos de possíveis clientes. Atender individualmente pode comprometer a rentabilidade do negócio. Sem estratégia, não há lucro. A chuva também é uma ameaça, mas não deixo de trabalhar.

    Já até inspirei uma amiga, proprietária de uma boutique, a montar uma loja móvel como a minha. Sirvo de referência não só a ela, mas a diversas pessoas do Brasil que entram em contato comigo para me pedir dicas. Fui capa de revistas de circulação nacional! Aconselho a novos empreendedores que descubram seu público alvo e saibam lidar com a diversidade. É preciso também fazer muito planejamento.

    O mais importante: é necessário gostar de estar na rua, conhecer pessoas. Se você vai investir na sua ideia de negócio, é necessário amar aquilo que se faz para ter sucesso. A inovação precisa ser constante para surpreender sempre.

  • Sucesso: 100%+Ideologia

    Jordana de Castro Saldanha Repezza - SALGADART - Pequenos Negócios


    Imagine uma menina, filha de uma comerciante nata e neta de um super vendedor! Uma menina que virou esportista – atleta da Seleção Brasileira de Kung Fu – e posteriormente repórter de TV. Essa menina, sou eu: Jordana Saldanha. Depois de ter sido Campeã Brasileira 15 vezes e repórter de TV durante 12 anos, tive uma grande ideia: transformar a fabricação caseira de salgados de massa branca na qual a minha mãe Angélica Castro trabalhava, em uma fabricação de produtos saudáveis. Essa situação aconteceu em 2010, época em que a alimentação saudável ainda não era uma realidade como é nos dias de hoje. Mesmo assim, pela minha atuação no esporte, imaginei que pudesse dar certo e também por ser um produto que ainda não existia no mercado. Então, fiz uma proposta para minha mãe para substituir a massa branca pela integral, ela teve um pouco de resistência porque acreditava que era muito difícil de encontrar fornecedores. Mas, mesmo assim fui até o supermercado e comprei um saco de farinha integral e pedi para ela experimentar. Ela fez e ficou maravilhoso. Eu tinha uma amiga nutricionista e pedi para ela fazer o cálculo de acordo com a tabela nutricional para ver se ia ter o apelo de mais saudável e porque também ia precisar de argumentos. E deu super certo!

    No início a Salgadart era uma aposta e um sonho de “tirar a minha mãe da fabricação caseira” em um novo nicho de mercado mais promissor. Iniciamos com 9 clientes e fizemos um estudo de mercado para descobrir se havia o produto no mercado e a disponibilidade de aceitação do novo produto. Quebramos um paradigma e criamos uma cultura em Brasília. Tivemos que convencer os clientes para substituírem a linha de massa branca pela integral. Tivemos dificuldades no início, então eu falei para minha mãe que tínhamos que procurar onde estavam os nossos consumidores. Foi quando começamos a fornecer para as lanchonetes de academias.

    A Salgadart cresceu tanto que em 6 meses já tínhamos 40 clientes e em um ano já tínhamos 100 clientes no atacado. Foi que precisei decidir se continuaria como repórter de televisão e deixaria a empresa com a minha mãe ou iria de vez para a indústria. Não foi fácil. Houve várias idas e vindas. Saí da Record, depois fui para o SBT, passei um tempo só na Salgadart, depois fui para a TV Justiça e com o continuo crescimento da empresa, percebi que era necessária, uma decisão definitiva. Me emociono quando lembro que percebi que o jornalismo já tinha dado o que tinha que dá. Foi um momento muito difícil porque eu tive que abrir mão de algo que tinha batalhado, que eu era muito bem sucedida, ganhava bem para uma atividade que eu ia trabalhar mais e ia ganhar mesmo. Mas, eu sabia que era uma oportunidade porque estávamos abrindo um mercado de alimentação saudável e era muito promissor. Dessa forma, em 2013 encerrei a etapa do jornalismo televisivo e fiquei exclusiva para a Salgadart.

    Em 2014 abrimos a nossa primeira loja e fomos vencedores do prêmio MPE na etapa local, concorrendo com muitas empresas importantes. E o que fez com que fossemos premiadas foi que na gestão seguíamos processos muito bem definidos e documentados, pois, tudo na fábrica é sistematizado.

    Fomos tema de reportagens importantes da TV Globo, TV Record e Correio Braziliense. Criamos produtos inexistentes como o pão de queijo fit e o salgado fit. Hoje atendemos a mais de 180 pontos em Brasília e já enviamos para outros 5 estados.

    Mas, tivemos muitos desafios no decorrer dessa jornada e o principal deles foi com a mão de obra. Tivemos que aprender a contratar as pessoas. Hoje não contratamos ninguém que tenha especialização em produção, porque percebi que o profissional que vem de outra fábrica vem viciado no processo e tem muita dificuldade de entender que nosso processo que é muito singular. Percebi que tínhamos que treinar e hoje temos um processo de treinamento para casa área da produção. Antes tínhamos muita dependência da mão de obra, do tempero do funcionário e hoje não, temos todas as fichas técnicas para todos os produtos, tudo é pesado, é feito em modeladores e é importantíssimo que contenha o que está escrito no rótulo, porque é prescrito por vários nutricionistas.

    Hoje promovemos ações de endomarketing dentro da empresa para cativar os funcionários e realizamos a campanha do funcionário do mês, temos um plano de carreira e uma reunião mensal com os colaboradores na qual ouvimos suas opiniões e que a partir delas, já mudamos vários processos por ter esse contato mais próximo com o colaborador. Implementamos também um questionário de clima de satisfação interno que reaplicamos a cada 6 meses.

    Hoje temos uma carteira de clientes e todo cliente que entra tem que fazer um cadastro, fazemos uma visita, avaliamos o local, a estrutura, as condições para realmente ser nosso cliente. Com os clientes já existem aplicamos um formulário on line que avalia a satisfação com os nossos serviços. E foi a partir desse feedback que melhoramos alguns processos. Um deles era que a entrega não era refrigerada e a pedido dos clientes, hoje compramos um caminhão refrigerado para realizá-las.

    Hoje nós temos algumas vertentes na área social e ambiental, por exemplo, o que sobra de gordura da carne, aproveitamos e não jogamos na caixa de gordura, separamos e fabricamos sabão. Todo o mês um colaborador fica responsável por fabricar em outro lugar e distribuir na comunidade na qual estamos localizados. Patrocinamos também uma atleta de Kung Fu chamada Paula Amidani desde o início da Salgadart. E ela é nossa multiplicadora da alimentação saudável. Temos também o projeto da lancheira saudável, no qual eu vou até as escolas para dar palestras sobre alimentação saudável. E no Areal eu participo de alguns cursos para a comunidade carente, é uma parceria com uma nutricionista.

    Com relação a inovação, estamos na formatação de uma máquina específica para nossa indústria, com o intuito de otimizar o processo produtivo contratamos um engenheiro que foi até a nossa fábrica e criou uma máquina que atende desde a cilindragem até o assamento e vamos patenteá-la.

    Hoje eu tenho orgulho do que faço, porque criamos algo que faz bem para as pessoas. Eu não me enxergava fazendo algo que não fosse saudável. Fui atleta por ideologia, fui jornalista por ideologia, e pra ser empresária eu também tinha que ter uma ideologia. Então eu falava pra minha mãe, temos que ser 100%. Na empresa eu faço questão de colocar e ser tudo 100%, 100% integral, 100% saudável.

    Para o futuro, estamos terminando de formatar o sistema de franquia das lojas e estamos pensamos na formatação da indústria como franquia para outros estados.

    Acredito que para ter sucesso como empreendedora é necessário ter muito foco e determinação, muito planejamento, cumprir todas as etapas e também documentá-las.

    E não se subestime, assim como eu, eu nunca achei que eu ia ser empreendedora. Mas as vezes você pode encontrar a sua felicidade e seu sucesso em algo que você nunca imaginava que teria. É preciso experimentar e acreditar que é possível. Em resumo, escolha algo que te mova, que se enxergue fazendo, que te dê orgulho de fazer!

  • NAVEGANDO EM SONHOS E PESCANDO OPORTUNIDADES

    Maria de Fatima Freitas Paiva - COOPERATIVA REPESCAR - Produtora Rural


    Sou natural de Salvador, e como boa soteropolitana, adorava passar as férias de verão com minha família na Ilha de Itaparica, Bahia. Grande parte do meu entusiasmo em ir para este lugar era o de poder realizar minha atividade preferida: a pesca. No ano de 1990 resolvi morar definitivamente na ilha. Enfrentei bastante dificuldade nos primeiros 10 anos, morava com minha mãe e meus 3 filhos e sobrevivia da pesca de rede e mergulho. Em 2000 fui morar em Ponta Grossa na contra costa da Ilha em uma casa de taipa e comecei a mariscar ostra, chumbinho, siri e sururu. Logo depois com a ajuda de Deus e de um Programa do Governo Federal, ganhei uma casa na qual moro até hoje.

    Em 2003, a Petrobrás, juntamente com o Centro de Estudos Socioambientais-PANGEA, foi criado um projeto REPESCAR que propôs a implantação de uma cooperativa de pesca na nossa comunidade, para assim beneficiar a população marisqueira e pesqueira da região. Comecei então a frequentar as reuniões semanais e capacitações de cooperativismo, onde foi construída a unidade de beneficiamento. Em 10 julho de 2005 criamos a cooperativa REPESCAR com a participação de 9 comunidades. A partir desse momento, percebi que ali era aonde eu realmente queria estar e me dava paz de espírito pois trabalhava com a comunidade, um ajudando o outro e crescendo juntos. Foi aí que “entrei de cabeça” nesse projeto.

    Iniciamos a nossa atividade comercial em setembro de 2007 com uma fábrica de gelo e uma parceria com a Bahia Pesca nos beneficiou com a aquisição de três barcos e uniformes para os cooperados e vários equipamentos. O início, porém, não foi nada fácil. Enfrentamos conflitos, pessoas querendo se apoderar da cooperativa para tomar a unidade e, com tantas idas e vindas, acabamos ficando sem funcionar por 5 anos. No entanto, eu e mais 5 cooperados fomos persistentes e não deixamos o nosso sonho morrer. Nós íamos à unidade, fazíamos a limpeza, colocávamos os maquinários para funcionar e, mesmo sem nenhum dinheiro em caixa, fazíamos as reuniões mensais com a diretoria e com o conselho fiscal. Por muito tempo saí em busca de novas parcerias que pudessem nos apoiar, chegando a ficar, muitas vezes, até 15 dias longe de casa.

    Em 2010, o Centro de Estudos Sócio ambientais-PANGEA, juntamente com a Petrobrás deu início ao projeto Viver no Mar. Desta vez, nós contávamos com 250 cooperados e o que esperávamos era o resgate e continuação do processo iniciado pelo Projeto anterior. Neste momento, eu depositei toda minha força e esperança de mudança de vida e de melhoria de nossa comunidade. Foram dois anos de muito trabalho, pois sabíamos que tínhamos de abraçar essa oportunidade com unhas e dentes, para adquirir sustentabilidade e estruturação econômica para a REPESCAR. Nós então nos capacitamos continuamente, adquirindo o conhecimento de todas as fases do negócio, desde a Gestão Financeira, Tributação e Informática, até o próprio Cooperativismo e Beneficiamento do Pescado.

    Nossa vivência cooperativista elevou a autoestima de todos, pois participávamos igualitariamente das decisões da cooperativa aumentando o poder do cooperado. Conseguimos elaborar o plano de negócio e plano de marketing da cooperativa e fomos acompanhados e assessorados em todas as atividades até junho de 2015, quando nos tornamos autossustentáveis, atingindo um equilíbrio na gestão e alcançando tanto eficiência econômica quanto produtiva.

    Hoje realizamos o beneficiamento do pescado, dando a este um valor agregado e conquistando o mercado com sua qualidade, e temos também uma fábrica de gelo que possui uma demanda elevada, principalmente a partir do mês de setembro até o carnaval. Na estrutura da cooperativa contamos com 20 cooperados que trabalham na unidade de beneficiamento do pescado e nosso grande diferencial é trabalharmos com a manipulação do pescado dento das normas da Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia- ADAB. Devido ao grau de qualidade, fornecemos para vários restaurantes renomados de Salvador (Restaurante Ramma, Cantina do Vinni, Restaurante Amado, Sesc entre outros), além de fornecer também ao Programa Nacional de Alimentação Escolar –PNAE, o que para nós foi uma grande conquista. Contamos com clientes menores, mas assíduos, pois estes retornam sempre pela satisfação e bom atendimento.

    A REPESCAR realiza o processo de beneficiamento de forma padronizada, dentro dos padrões de qualidade, da seguinte forma: o pescado ao ser recebido é levado para a pesagem. Feito isto, o pagamento é efetuado aos pescadores no escritório da cooperativa. Na sala de manipulação, o marisco é catado, o peixe é tratado e cortado em postas ou filé, pesado novamente e embalado a vácuo. Em seguida é encaminhado para a câmera de congelamento, onde permanece até o dia de saída para entrega ao cliente. Em todos os setores da produção, o cooperado se encontra uniformizado com calça, jaleco, botas brancas, luva, touca e máscara, prezando pela higiene no local de trabalho. Nosso pescado é oriundo das nove comunidades que fazem parte da cooperativa, é comprado pelo um preço justo, e o cooperado ainda participa das sobras do balanço anual da cooperativa de forma proporcional à sua produção.

    A relação entre os cooperados é descontraída com respeito e companheirismo. Todas as deliberações feitas em reuniões de diretoria são repassadas para os cooperados pelos próprios diretores, aceitando sempre sugestões, críticas e o que houver de proveitoso para agregar valor à cooperativa.

    Hoje me considero uma guerreira; divido meu tempo entre muitas atividades, sou mulher, mãe e marisqueira, mas agradeço a Deus pela oportunidade de ter conhecido muitos órgãos estaduais e federais, além de viajar pelo Brasil e pelo exterior, podendo me aperfeiçoar na minha profissão e trazer novas experiências a todos. Além de mim, cerca de 300 pescadores e marisqueiros artesanais cooperados, entre homens e mulheres, também conseguem seu sustento através da pesca, e têm, nesta cooperativa, a possibilidade de prover o sustento de suas famílias e ter seu trabalho, que é tão árduo, reconhecido e valorizado.

    O crescimento da REPESCAR mobilizou uma mudança na minha vida assim como na vida dos outros cooperados. Além de garantir nosso sustento, tivemos uma elevação da qualidade de vida, pudemos adquirir bens materiais, conhecimento e experiência de vida. O nosso próximo desafio e a meta principal atual da cooperativa é vender para o PNAE de outras cidades e aumentar a cartela de cliente, o que vai gerar mais renda para todos.

    Sempre tive esse pensamento na minha vida: "Escolha uma ideia. Faça dessa ideia a sua vida. Pense nela, sonhe com ela, viva pensando nela. Deixe cérebro, músculos, nervos, todas as partes do seu corpo serem preenchidas com essa ideia. Esse é o caminho para o sucesso." – SwamiVivekananda, pensador hindu.